Ir para o conteúdo DAG Ir para o menu DAG Ir para a busca no site DAG Ir para o rodapé DAG
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 210 Centro de Estudos Básicos da UFSM em 1974



Audiodescrição da imagem: Fotografia vertical, em preto e branco, de parte de 5 prédios inacabados enfileirados um atrás do outro, demonstrando profundidade, da esquerda para a direita da fotografia. Eles têm 2 andares, com fachadas de pintura clara, 2 pilares de concreto retangulares e a lateral de tijolos aparentes. Da esquerda para a direita, é possível ver que os 3 primeiros prédios têm duas janelas retangulares de ferro em cada andar, situadas entre o espaço dos pilares. Cada janela tem 5 aberturas em formato de retângulos de vidro do tipo basculante. Seguindo essa ordem de prédios, as janelas do primeiro prédio têm persianas no andar de baixo, com as 5 aberturas fechadas. No andar de cima, uma abertura da janela de baixo está aberta. No segundo prédio, é possível ver só 2 retângulos da janela do andar de cima abertos. No terceiro prédio, todas as janelas estão fechadas. Nos 2 prédios seguintes não é possível visualizar as janelas. O terreno é inclinado, sendo mais alto na parte da calçada, feita de lajotas com formato de um hexágono, que se estende do centro à direita inferior da fotografia até a lateral do segundo prédio, e mais baixo onde os prédios estão construídos. Ao lado do segundo prédio, estão dispostos montes de terra e 8 pilhas de lajotas de mesmo formato das que compõem a calçada, um hexágono. Ao lado dos 2 primeiros prédios, entre eles e a calçada, há 2 canteiros com grama, onde estão plantadas 8 pequenas árvores de poucos galhos e folhas. No primeiro canteiro, no canto inferior esquerdo da imagem, existe uma árvore alta de troncos finos e poucas folhas no topo. À sua esquerda, uma planta baixa e densa, e à sua direita, um arbusto baixo com muitas folhas. À frente desse arbusto e no centro da fotografia, está cravada uma placa de metal com suportes de madeira virada para a calçada. A escrita é visível, e pode-se ler as siglas “MEC” e “UFSM”, informando que a construção pertence ao Centro de Estudos Básicos. Na fotografia ainda existem mais 2 placas apontadas para os prédios. Entre o primeiro prédio e o canteiro, existe uma passagem de concreto onde estão dispostos dois cavaletes de madeira. Ao lado do segundo prédio, um homem trabalha com a terra. Está visível da cintura para cima, com o tronco inclinado para frente. Veste camisa com mangas compridas e chapéu escuros. É possível ver ainda um pinheiro alto e robusto no canto superior direito da fotografia. Ao fundo, atrás dos últimos prédios, pinheiros altos com muitos galhos e folhas. Céu claro.

Audiodescritora Roteirista: Isabela Escandiel
Audiodescritora Consultora: Rubia Steffens

Após ser federalizada em 1965 a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) se reestruturou criando os seguintes órgãos: o Conselho de Ensino e Pesquisa, o Conselho de Curadores e a Reitoria; e na sua estrutura intermediária as Faculdades e Institutos foram substituídos por oito Unidades de Ensino, sendo uma de Estudos Básicos e sete de Formação Profissional. O Centro de Estudos Básicos era chefiado pelo Decano (o mais antigo dos membros da congregação de professores) Prof. Dr. Domingos Crossetti e era composto das seguintes áreas: Ciências Naturais e Exatas, Ciências Bióticas, Ciências Sociais e Humanidades, abrangendo os departamentos de Ciências Naturais, Farmacologia, Física, Fisiologia, Geociências, Geografia, História, Histologia, Letras, Matemática, Microbiologia, Patologia, Química e Departamento de Tecnologia Alimentar.  Manteve-se essa estrutura até 1978, quando foi realizada uma nova mudança, alterando a denominação das unidades de ensino para centros e criando as pró-Reitorias e subunidades.

Texto: Miguel Damasceno, acadêmico do 6°semestre do Curso de Letras/Português – Licenciatura da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia vertical, em preto e branco, de parte de 5 prédios inacabados enfileirados um atrás do outro, demonstrando profundidade, da esquerda para a direita da fotografia. Eles têm 2 andares, com fachadas de pintura clara, 2 pilares de concreto retangulares e a lateral de tijolos aparentes. Da esquerda para a direita, é possível ver que os 3 primeiros prédios têm duas janelas retangulares de ferro em cada andar, situadas entre o espaço dos pilares. Cada janela tem 5 aberturas em formato de retângulos de vidro do tipo basculante. Seguindo essa ordem de prédios, as janelas do primeiro prédio têm persianas no andar de baixo, com as 5 aberturas fechadas. No andar de cima, uma abertura da janela de baixo está aberta. No segundo prédio, é possível ver só 2 retângulos da janela do andar de cima abertos. No terceiro prédio, todas as janelas estão fechadas. Nos 2 prédios seguintes não é possível visualizar as janelas. O terreno é inclinado, sendo mais alto na parte da calçada, feita de lajotas com formato de um hexágono, que se estende do centro à direita inferior da fotografia até a lateral do segundo prédio, e mais baixo onde os prédios estão construídos. Ao lado do segundo prédio, estão dispostos montes de terra e 8 pilhas de lajotas de mesmo formato das que compõem a calçada, um hexágono. Ao lado dos 2 primeiros prédios, entre eles e a calçada, há 2 canteiros com grama, onde estão plantadas 8 pequenas árvores de poucos galhos e folhas. No primeiro canteiro, no canto inferior esquerdo da imagem, existe uma árvore alta de troncos finos e poucas folhas no topo. À sua esquerda, uma planta baixa e densa, e à sua direita, um arbusto baixo com muitas folhas. À frente desse arbusto e no centro da fotografia, está cravada uma placa de metal com suportes de madeira virada para a calçada. A escrita é visível, e pode-se ler as siglas “MEC” e “UFSM”, informando que a construção pertence ao Centro de Estudos Básicos. Na fotografia ainda existem mais 2 placas apontadas para os prédios. Entre o primeiro prédio e o canteiro, existe uma passagem de concreto onde estão dispostos dois cavaletes de madeira. Ao lado do segundo prédio, um homem trabalha com a terra. Está visível da cintura para cima, com o tronco inclinado para frente. Veste camisa com mangas compridas e chapéu escuros. É possível ver ainda um pinheiro alto e robusto no canto superior direito da fotografia. Ao fundo, atrás dos últimos prédios, pinheiros altos com muitos galhos e folhas. Céu claro.

Audiodescritora Roteirista: Isabela Escandiel

Audiodescritora Consultora: Rubia Steffens


Publicações Recentes