Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Na UFSM, a primeira Celebração do Dia do π

Ao observarmos a natureza notamos que o círculo aparece com mais frequência que o triangulo, retângulo, quadrado, etc. Imaginemos o que o homem pré-histórico pensou quando na primeira noite da sua vida vislumbrou a lua. Hoje em dia, olhamos as estrelas e não nos impressionamos tanto. Atualmente, a Ciência nos possibilita observar que os seres vivos têm células arredondadas, enquanto que os minerais são constituídos por formas geométricas não arredondadas.

O numero π  é uma constante, pois independente do tamanho do círculo, o quociente entre o comprimento e diâmetro da circunferência, é sempre o mesmo. Quando os matemáticos antigos perceberam esse fato, chamaram esse quociente de “Pi”.

Em homenagem a esse número irracional, transcendente, que não pode ser escrito como um número finito ou repetindo decimais e cujo valor aproximado é 3,1416 ocorrerá na sexta-feira, dia 13 de março, pela primeira vez na UFSM, a Celebração do Dia do π, às 14h, no Espaço de Convivência do CCNE (térreo do prédio 13).

Um dos objetivos da celebração é aproximar pessoas de áreas afins (estudantes, professores, pesquisadores) e todos os que “curtem” Matemática, além de incentivar uma apreciação maior pela Matemática, integrando comunidade acadêmica e comunidade leiga, mostrando o caráter social da Matemática.
A primeira Celbração do π , ocorreu nos Estados Unidos da América, em 1988 na cidade de São Francisco, organizado por Larry Shaw, considerado o Pi Prince (Príncipe do Pi), e incentivada pelo National Council of Teachers of Mathematics (NCTM).

Esse é um evento que ocorre no mundo todo, no dia 14 de março (no calendário norte americano, 3.14) onde se comem tortas em formato de π (Pi Pies) e pizzas. Em alguns lugares são promovidas guerras de tortas e pizzas, e concursos para se recitar o maior número de algarismos do π, além do concurso de tortas.

No Brasil, esta celebração não é muito popular e, na UFSM, segundo o Professor Ricardo Fajardo e o acadêmico Eduardo Ruedell, organizadores da celebração, ela nunca ocorreu. “Este ano será realmente especial, como estamos em 2015, vamos conseguir atingir 10 dígitos do Pi: 3,14.15 9:23:56”; na sexta-feira, “teremos uma Pi Pie e vamos ficar lá conversando, ouvindo música e já planejando a próxima”, diz Eduardo.
Texto elaborado por Sandro Lacerda – Assessoria de comunicação do CCNE