Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Exames feitos no Larp apontaram uso de agrotóxicos proibidos em lavouras de soja

Exames laboratoriais em plantas de soja feitos no Laboratório de Análise de Resíduos de Pesticidas (Larp) da UFSM foram decisivos para que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Secretaria Estadual da Agricultura (Seapi) embargassem 35 hectares de duas lavouras de soja de Dom Pedrito devido ao uso de agrotóxicos não permitidos.

Os exames laboratoriais em plantas de soja feitos no Larp após a mortandade de peixes ocorrida em barragem próxima às duas lavouras, no final do mês de fevereiro, apontou a presença dos princípios ativos Atrazina (herbicida), não liberado para a cultura da soja, e Carbofurano (inseticida), proibido no Rio Grande do Sul. Cada produtor foi multado em R$ 25 mil.

A Seapi interditou a comercialização da soja até que se comprove a ausência das substâncias nos grãos. Para tanto, a colheita será acompanhada. Já o Ibama embargou as áreas até que se comprove a descontaminação do solo pelos mesmos princípios ativos.

A fiscalização faz parte de ações conjuntas da Comissão de Fiscalização do Fórum Gaúcho de Combate ao Impacto dos Agrotóxicos (FGCIA) coordenado pelo Ministério Público.

 

Com informações do jornal Folha do Sul