Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Doutoranda da UFSM mobiliza professoras explorando a relação da postura corporal, da respiração e da voz

Pompage Global. Foto: Equipe LabVoz.

A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana (PPGDCH) da UFSM, Débora Bonesso Andriollo, orientada pela Profª. Drª. Carla Aparecida Cielo (LabVoz UFSM), está desenvolvendo sua tese de doutorado estudando os efeitos da liberação miofascial (um tipo de “massagem” fisioterapêutica com as mãos) sobre a voz, a respiração e a postura corporal das professoras de Santa Maria. Por isso, a doutoranda convida para serem voluntárias em sua pesquisa todas as professoras em atividade, entre 19 e 60 anos de idade, atuantes em qualquer um dos níveis de ensino na cidade de Santa Maria, que sintam dor e/ou desconforto osteomusculares e queixas vocais. As professoras receberão avaliação otorrinolaringológica, postural, respiratória, vocal e, ainda, terapia que poderá beneficiá-las em sua atuação profissional e melhorar a qualidade de vida nos aspectos relacionados à voz, postura e respiração. 

De acordo com Débora, sua pesquisa busca verificar os efeitos da  liberação miofascial com uso de Pompage em professoras. A liberação miofascial é uma técnica do método americano Rolfing, que consiste na mobilização digital profunda do tecido conjuntivo, em especial das fáscias (tecido mais penetrante, que forma uma rede fina e elástica existente em camadas contínuas do corpo humano), fazendo com que os músculos se libertem de padrões habituais de tensão crônica, melhorando desconfortos musculares, dores e mobilidade prejudicada. Já a Pompage é um trabalho miotensivo com mobilização somada ao deslizamento das fáscias, que tem como objetivo o relaxamento muscular, melhora na nutrição circulatória dos tecidos moles e articulações.

Avaliação Vocal. Foto: Equipe LabVoz.

Destacando que a maior dificuldade que enfrenta em sua pesquisa é a de mobilizar as professoras, Débora conta que os dados preliminares da pesquisa já foram divulgados no Congresso da Fundação de Otorrinolaringologia  (FROL), na Jornada Acadêmica Integrada – (JAI/UFSM) e no Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão (SIEPE) – eleito Melhor Trabalho na categoria Pesquisa. Além disso, quando se trata do futuro, é esperada uma “contribuição no sentido de elucidar e orientar tratamentos e a atuação profissional de professoras, sobre a voz e a respiração adequada e a postura corporal mais próxima da ideal”, pontua a doutoranda.

Se você se encaixa no perfil de professora e quer fazer parte da pesquisa como voluntária, entre em contato com a Débora:

 

Texto por: Lucas Zimmermann, acadêmico de Comunicação Social – Relações Públicas e bolsista do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE

Edição: Wellington Gonçalves, relações públicas do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE