Ir para o conteúdo DAG Ir para o menu DAG Ir para a busca no site DAG Ir para o rodapé DAG
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 045 Em Busca da Realidade: Operação Mauá



Fotografia horizontal em preto e branco de grupo com cerca de trinta pessoas, quase todas uniformizadas, na lateral de um ônibus à noite. Na metade inferior da foto e em quase toda a largura, o ônibus, virado à esquerda, do qual se vê apenas pequena parte da frente e toda a lateral; e o grupo, disposto do centro para a direita. No grupo, nove pessoas agachadas, lado a lado, uma sentada e os demais aglomerados em pé atrás deles. Da maioria identificável, todos são homens, jovens, com pele clara, cabelos escuros e alguns volumosos. Usam camisetas brancas, exceto dois que estão em pé, à direita, com camisas estampadas. Dentre os agachados, três usam chapéus com abas largas e um está com um violão. Atrás do grupo, o ônibus, onde na parte frontal se pode ver no topo, na extremidade direita do letreiro preto, o número 305, em branco. Pelo para-brisa, vê-se a cabeça de um homem, próximo à direção. Abaixo, uma barra metalizada que se prolonga na lateral até o primeiro pneu com uma águia estilizada abaixo da janela do motorista. Na lateral do ônibus, centralizada no alto, a palavra PLUMA, em letras maiúsculas, pretas. Abaixo, dois jovens, com parte do corpo para fora das janelas, seguram as laterais de uma faixa clara que encobre as janelas entre eles. Na faixa, à direita, um quadrado com a logomarca da Pepsi. Ao lado, um texto em quatro linhas, onde se lê no alto, “Operação Mauá”, em letras claras; abaixo, “Acadêmicos da UFSM rumo ao”, em letras escuras; “Paraná Agradecendo”, na terceira linha; e na última, uma palavra encoberta pelo grupo e “Pampeiro”, à direita. Ao fundo, na metade superior da foto, parte da fachada de um prédio com brises, em forma de retângulos verticais altos. À direita, céu escuro e parte de prédio claro, com dois andares e aberturas escuras.

No ano de 1968 em meio a visitas e conversas entre o Cel. Mário Andreazza, Ministro dos Transportes e os estudantes de Engenharia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) liderados pelo prof. Eng. Pércio Reis, surgiu a ideia de criar um programa que unisse a aprendizagem dos estudantes com a realidade.

Este projeto, denominado Operação Mauá (OPEMA), sediado provisoriamente na cidade do Rio de Janeiro, pretendia mostrar aos estudantes acontecimentos jamais vistos em sala de aula, proporcionando atividades como viagens de estudo, estágios contínuos, conferências, simpósios, cursos e até mesmo viagens e estágios internacionais, que os tornariam cada vez mais experientes e prontos para o mercado de trabalho.

Ao propiciar o encontro Universidade-Empresa, o poder público, através da Opema, está propiciando não apenas o estágio profissionalizante de que carece a universidade mas, a adequação entre os interesses empresariais de mão-de-obra especializada e o conteúdo da formação universitária.

Todos os alunos de Engenharia (Civil, Mecânica, Química, Elétrica, Eletrônica, Metalúrgica, Minas, Naval, Nuclear, de Materiais, de Alimentos, de Pesca) e dos cursos de Administração, Economia, Arquitetura, Geologia, Análise de Sistemas, Ciências Contábeis e Química Industrial, que quisessem participar do projeto e preenchessem os pré-requisitos necessários seriam aceitos.

 Uma das viagens mais marcantes, à qual esteve presente um estudante da UFSM, entre os dez universitários do Rio Grande do Sul, reuniu em torno de 60 estudantes provenientes de onze Estados do Brasil. Fizeram o trajeto de Rio a Manaus, possibilitados pelo Ministério da Marinha, com o navio da Força de Transporte. Foram realizadas paradas nas capitais dos Estados e nelas desenvolvidas vastas atividades, destacando-se o retorno com a visita aos órgãos da administração geral do Distrito Federal.

Texto: Danielle Godoy Espindola, acadêmica do 3º semestre do Curso de Arquivologia da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal em preto e branco de grupo com cerca de trinta pessoas, quase todas uniformizadas, na lateral de um ônibus à noite. Na metade inferior da foto e em quase toda a largura, o ônibus, virado à esquerda, do qual se vê apenas pequena parte da frente e toda a lateral; e o grupo, disposto do centro para a direita. No grupo, nove pessoas agachadas, lado a lado, uma sentada e os demais aglomerados em pé atrás deles. Da maioria identificável, todos são homens, jovens, com pele clara, cabelos escuros e alguns volumosos. Usam camisetas brancas, exceto dois que estão em pé, à direita, com camisas estampadas. Dentre os agachados, três usam chapéus com abas largas e um está com um violão. Atrás do grupo, o ônibus, onde na parte frontal se pode ver no topo, na extremidade direita do letreiro preto, o número 305, em branco. Pelo para-brisa, vê-se a cabeça de um homem, próximo à direção. Abaixo, uma barra metalizada que se prolonga na lateral até o primeiro pneu com uma águia estilizada abaixo da janela do motorista. Na lateral do ônibus, centralizada no alto, a palavra PLUMA, em letras maiúsculas, pretas. Abaixo, dois jovens, com parte do corpo para fora das janelas, seguram as laterais de uma faixa clara que encobre as janelas entre eles. Na faixa, à direita, um quadrado com a logomarca da Pepsi. Ao lado, um texto em quatro linhas, onde se lê no alto, “Operação Mauá”, em letras claras; abaixo, “Acadêmicos da UFSM rumo ao”, em letras escuras; “Paraná Agradecendo”, na terceira linha; e na última, uma palavra encoberta pelo grupo e “Pampeiro”, à direita. Ao fundo, na metade superior da foto, parte da fachada de um prédio com brises, em forma de retângulos verticais altos. À direita, céu escuro e parte de prédio claro, com dois andares e aberturas escuras.

Comissão de Audiodescrição da UFSM.

Artigo em Libras

Publicações Recentes