Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 054 Marechal Castelo Branco em Rio Pardo em 1964



Fotografia quadrada em preto e branco de sete homens desfilando em uma rua de paralelepípedos em um dia ensolarado. Os homens estão no centro da fotografia, em pé, enquadrados por inteiro e de frente, um pouco voltados para a esquerda da rua. Quatro deles estão na primeira fila e os demais atrás. Têm faixa etária de 50 anos, pele clara e a expressão sorridente. Na primeira fila, o primeiro homem, à esquerda, de cabelo curto, escuro e liso, está de terno escuro com lenço branco na lapela esquerda, camisa clara, gravata rajada e calçado escuro e tem as duas mãos às costas. O segundo homem tem cabelo curto, escuro e liso, está de terno escuro, camisa clara, gravata escura, calçado escuro e tem os braços e mãos junto ao corpo. O terceiro homem usa quepe e farda militar, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O quarto homem usa óculos de grau, quepe e farda militar e calçado escuro; olha em direção ao terceiro homem e tem os braços e mãos junto ao corpo. Na fila de trás, o quinto homem, dois passos atrás da primeira fila, tem cabelo escuro, curto e liso; usa terno escuro, camisa clara, gravata escura, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O sexto homem tem o corpo oculto pelo segundo homem da primeira fila, estando visível apenas a testa e o cabelo escuro e curto. E o sétimo homem, de cabelo curto, escuro e liso, usa óculos de grau, terno escuro, camisa de cor clara, gravata escura, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O sol está alto e pleno, em um céu sem nuvens, com as sombras projetando-se à frente e à direita dos homens. Da direita às costas dos homens, há três casas e várias pessoas assistindo e aplaudindo o desfile. Da primeira casa, visualiza-se um pedaço do telhado da frente, e um muro que a divide da calçada da rua, com um portão pequeno, de metal. No jardim desta casa há mulheres, crianças e homens, em pé, aplaudindo o desfile. Destas, destacam-se duas crianças de pele e cabelo claros, na faixa etária dos cinco anos, sentadas sobre o muro. Ao lado direito delas, uma menina de cabelo curto, liso e escuro, na faixa etária de cinco anos, em pé sobre o muro, aplaudindo, com vestido de cor clara e curto e calçado e meia claros. Ao lado direito da menina,  uma mulher, de pele clara, cabelo escuro, curto e ondulado, de saia escura e blusa clara de manga curta. E ao lado direito dela, um homem de cabelo escuro, curto e liso, de óculos de grau, de terno escuro, camisa branca e gravata escura, em pé, atrás do muro. A segunda casa, de material e parede de cor clara, tem um alpendre mais duas janelas verticais de madeira e vidro na frente; duas janelas retangulares e verticais de madeira na lateral; e o telhado de quatro águas. E da terceira casa, com paredes de material  de cor clara, visualiza-se o telhado e duas janelas frontais. Entre a segunda e a terceira casas há dois fios horizontais, com onze bandeirinhas de papel claro penduradas em cada um. A rua é feita de paralelepípedos regulares, enquanto a calçada por lajes quadradas.No fundo da foto, à esquerda e ao longe, há três filas de soldados, uniformizados e alinhados em forma. E, mais ao fundo, uma árvore de copa alta.

Após a visita do Imperador Pedro II à cidade de Rio Pardo, a primeira vez que a cidade recebeu um chefe da nação brasileira foi em 1964. Em uma manhã de maio o Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco foi lá recebido pela população local e autoridades, incluindo o Reitor da UFSM, Mariano da Rocha Filho. Visitou diversos locais da cidade, participou de uma homenagem cívico-militar, e discursou no Clube Literário Recreativo, onde citou que quem ali falava não era o Presidente da Republica, mas um antigo habitante de Rio Pardo. O cearense Humberto Castello Branco teve sua base educacional inteiramente militar. Iniciou seus estudos na Escola Militar de Rio Pardo-RS. Foi um dos principais articuladores do golpe militar de 1964, que depôs o presidente João Goulart. Veio a falecer em um acidente aéreo em 1967.

Texto: Raabe Balsamo, Acadêmica do 1º semestre do Curso de História da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia quadrada em preto e branco de sete homens desfilando em uma rua de paralelepípedos em um dia ensolarado. Os homens estão no centro da fotografia, em pé, enquadrados por inteiro e de frente, um pouco voltados para a esquerda da rua. Quatro deles estão na primeira fila e os demais atrás. Têm faixa etária de 50 anos, pele clara e a expressão sorridente. Na primeira fila, o primeiro homem, à esquerda, de cabelo curto, escuro e liso, está de terno escuro com lenço branco na lapela esquerda, camisa clara, gravata rajada e calçado escuro e tem as duas mãos às costas. O segundo homem tem cabelo curto, escuro e liso, está de terno escuro, camisa clara, gravata escura, calçado escuro e tem os braços e mãos junto ao corpo. O terceiro homem usa quepe e farda militar, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O quarto homem usa óculos de grau, quepe e farda militar e calçado escuro; olha em direção ao terceiro homem e tem os braços e mãos junto ao corpo. Na fila de trás, o quinto homem, dois passos atrás da primeira fila, tem cabelo escuro, curto e liso; usa terno escuro, camisa clara, gravata escura, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O sexto homem tem o corpo oculto pelo segundo homem da primeira fila, estando visível apenas a testa e o cabelo escuro e curto. E o sétimo homem, de cabelo curto, escuro e liso, usa óculos de grau, terno escuro, camisa de cor clara, gravata escura, calçado escuro e tem as mãos estendidas ao longo do corpo. O sol está alto e pleno, em um céu sem nuvens, com as sombras projetando-se à frente e à direita dos homens. Da direita às costas dos homens, há três casas e várias pessoas assistindo e aplaudindo o desfile. Da primeira casa, visualiza-se um pedaço do telhado da frente, e um muro que a divide da calçada da rua, com um portão pequeno, de metal. No jardim desta casa há mulheres, crianças e homens, em pé, aplaudindo o desfile. Destas, destacam-se duas crianças de pele e cabelo claros, na faixa etária dos cinco anos, sentadas sobre o muro. Ao lado direito delas, uma menina de cabelo curto, liso e escuro, na faixa etária de cinco anos, em pé sobre o muro, aplaudindo, com vestido de cor clara e curto e calçado e meia claros. Ao lado direito da menina,  uma mulher, de pele clara, cabelo escuro, curto e ondulado, de saia escura e blusa clara de manga curta. E ao lado direito dela, um homem de cabelo escuro, curto e liso, de óculos de grau, de terno escuro, camisa branca e gravata escura, em pé, atrás do muro. A segunda casa, de material e parede de cor clara, tem um alpendre mais duas janelas verticais de madeira e vidro na frente; duas janelas retangulares e verticais de madeira na lateral; e o telhado de quatro águas. E da terceira casa, com paredes de material  de cor clara, visualiza-se o telhado e duas janelas frontais. Entre a segunda e a terceira casas há dois fios horizontais, com onze bandeirinhas de papel claro penduradas em cada um. A rua é feita de paralelepípedos regulares, enquanto a calçada por lajes quadradas.No fundo da foto, à esquerda e ao longe, há três filas de soldados, uniformizados e alinhados em forma. E, mais ao fundo, uma árvore de copa alta.

Audiodescritora roteirista: Cristina Strohschoen dos Santos

Audiodescritor consultor: Cristian Sehnem

Artigo em Libras


Publicações Recentes