Ir para o conteúdo PRE Ir para o menu PRE Ir para a busca no site PRE Ir para o rodapé PRE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

A Extensão das Flores | Perfil



“Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente
Um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Em algum canto de jardim”

 

As flores, muito mais do que utilizadas como enfeites ou objetos de galanteio, foram símbolos de mudança de rumo ao longo da história. No século XX, durante a Primavera de Praga, elas foram o símbolo máximo da revolta popular. Em 1974, em Portugal, os cravos foram responsáveis pelo fim da ditadura. Nos anos 1980, elas comemoraram o fim da Cortina de Ferro e da ditadura soviética. Em vários locais do mundo e em períodos históricos distintos, as flores contam e recontam a história – de pessoas, de instituições e de países. E é a partir delas que apresentamos o Docente Destaque Extensionista 2019.

Talvez as redes sociais tenham criado um excesso informativo, do qual quase tudo o que se procura está disponível. Quase tudo. Isso porque, ao buscarmos em todas as redes sociais e em todos os bancos de dados virtuais, o que achamos foram informações sobre os projetos coordenados pelo professor Nereu Streck. O que achamos sobre ele? Que, desde 1986,  faz parte da Universidade Federal de Santa Maria. Graduado e mestre em Agronomia pela UFSM, em 1998 realizou seu doutorado na Universidade de Nebraska-Lincoln, nos Estados Unidos. Desde o ano de 1995, é professor associado ao Centro de Ciências Rurais (CCR), lotado no Departamento de Fitotecnia. Ao longo de sua trajetória como docente, já orientou 28 teses de doutorado, 47 dissertações de mestrado e 126 alunos de iniciação científica.

Mas bem, estes são apenas alguns dados que não nos revelam muito sobre o Docente Destaque Extensionista 2019. Ou, talvez, revelam muito. Afinal, foram, ao total, mais de 200 pesquisas para o avanço social e econômico da região central do Rio Grande do Sul. Mais de 200 sementes lançadas em vários cantos do país. Algumas delas ficaram nos jardins da UFSM, multiplicando ainda mais suas ideias. Em uma busca rápida nos históricos da Universidade, os resultados surpreendem: 143 projetos – entre pesquisa e extensão – contaram com a sua participação.

O primeiro projeto de extensão que coordenou, em 2005, teve como objetivo trabalhar com a Agrometeorologia na recuperação de pacientes psiquiátricos e despertar, em alunos do Ensino Fundamental e Médio, a curiosidade sobre as Ciências Agrárias. Em 2006, seu segundo projeto de extensão também foi voltado para pacientes psiquiátricos: o foco era construir uma horta, no Hospital Universitário (HUSM) da UFSM, para não só fortalecer a autonomia e a autoestima dos pacientes, como também para auxiliar na reabilitação deles.

Mas e as flores, onde se encaixam? Em 2017, em um dos projetos de extensão com maior visibilidade no território gaúcho: o projeto Flores para todos. A ação extensionista, coordenada pelo professor Nereu, atualmente encontra-se no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná e no Vale do Rio São Francisco, levando novas oportunidades de geração de renda aos agricultores e os aproximando do cultivo de flores. Inspirado na cultura inglesa, que a partir da Revolução Industrial popularizou o acesso aos jardins, o projeto faz parte da Equipe PhenoGlad, que reúne pesquisadores e extensionistas de várias universidades e institutos federais de educação, além de parcerias externas, como o da Emater.

As ações extensionistas do projeto também envolvem dias de campo e roteiros técnicos em lavouras de produtores rurais. O Flores para Todos, através da equipe PhenoGlad, também desenvolveu um aplicativo homônimo para auxiliar os produtores dos Gladíolo – ou Palma de Santa Rita.

Assim como a Revolta dos Cravos (simbolizada pelas flores e inspiração para a música de Chico Buarque que abre e fecha esse perfil) modificou a história portuguesa, o projeto do professor Nereu está mudando a realidade de muitos produtores e estudantes de todo o Brasil.

 

“Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim”
 

 

 

 

Texto: Wellington Hack / bolsista NDI PRE

Revisão Textual: Erica Medeiros / bolsista NDI PRE


Publicações Recentes