Ir para o conteúdo Cachoeira do Sul Ir para o menu Cachoeira do Sul Ir para a busca no site Cachoeira do Sul Ir para o rodapé Cachoeira do Sul
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM-CS participa do 4º Salão de Inovação

Evento ocorreu entre os dias 05 e 06 de julho, dentro da programação da Semana de Inovação de Cachoeira do Sul



O campus da UFSM em Cachoeira do Sul esteve presente na Semana de Inovação, organizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), que ocorreu entre os dias 04 e 08 de julho. Em sua programação, além de diversas palestras, estava o Salão de Inovação, no qual foram apresentados diversos projetos da cidade.

Na programação de palestras, o evento contou com a participação de professores do curso de Engenharia Agrícola da UFSM-CS. O prof. Ezequiel Saretta falou sobre a “Importância da irrigação na agricultura”. Já a profa. Zanandra Boff de Oliveira palestrou sobre “Uma visão da pesquisa sobre a irrigação suplementar”.

No Salão de Inovação, a UFSM contou com a participação de sete projetos. Entre os projetos apresentados estão:

  • CARRO ELÉTRICO COM ABASTECIMENTO POR ENERGIA SOLAR, orientado pelo prof. Paulo César Vargas Luz;
  • DINAMÔMETRO INERCIAL PARA CADEIRANTES, orientado pelo prof. Charles Rech;
  • DISPOSITIVOS DE MEDIÇÕES MECÂNICAS ASSOCIADO A INTERNET DAS COISAS, orientado pelo prof. Charles Rech;
  • EMPREGO DE AUTÔMATOS NA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS, orientado pelo prof. Ederval de Souza Lisboa;
  • CLP – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL ACADÊMICO, orientado pelo prof. António Manuel Santos Spencer Andrade
  • PRODUÇÃO DE CERVEJA UTILIZANDO SORGO: UMA ALTERNATIVA PARA PESSOAS INTOLERANTES AO GLÚTEN, orientado pelo prof. Charles Rech;
  • DESENVOLVIMENTO DE COLETORES SOLARES DE BAIXO CUSTO PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA EM CHUVEIRO RESIDENCIAL, orientado pelo prof. Crsitiano Frandalozo Maidana.

A mostra aconteceu no salão do Colégio Barão do Rio Branco, nos dias 05 e 06, com visitação pública e gratuita. Ao todo, 25 projetos foram apresentados, nas categorias Universidade, Empresa, Escola Técnica e Escola de Ensino Médio. Os melhores projetos de cada categoria foram premiados pela organização do evento.

Na categoria Universidade, o projeto “Dispositivos de medições mecânicas associado a internet das coisas”, do prof. Charles Rech, foi premiado nas categorias Viabilidade e Originalidade. O professor ainda levou para o Salão de Inovação outros dois projetos: um que traz um dinamômetro desenvolvido para avaliação cardiovascular, treinamento e condicionamento físico de cadeirantes; e o outro que estuda a produção de cerveja artesanal sem glúten a partir de sorgo, envolvendo toda a cadeia, desde o plantio, produção, malteação e logística de distribuição, para fomentar o agronegócio.

 

PROJETO VENCEDOR TRABALHA O USO DA INTERNET DAS COISAS PARA AUXILIAR EM TRATAMENTOS DE SAÚDE

Através do projeto “Dispositivos de medições mecânicas associado a internet das coisas”, os visitantes do Salão de Inovação foram apresentados a um manovacuômetro digital.

Apesar do projeto cadastrado na UFSM trabalhar com o desenvolvimento de diversos dispositivos, a equipe do projeto optou por apresentar o manovacuômetro, por ele poder ser utilizado em pacientes que ficaram com sequelas mais profundas devido a contração do vírus da Covid-19, necessitando, assim, de um treinamento fisioterápico para total recuperação do sistema respiratório.

O Manovacuômetro digital utiliza dispositivos moveis, como celulares, para comunicação com nuvens e banco de dados para análise de profissionais da área da saúde. É possível, portanto, que o paciente faça alguns treinamentos em clínicas especializadas e depois continue com o tratamento em casa, visto que pode ser monitorado por pessoas da área da saúde à distância.

Os resultados da medição obtidas no manovacuômetro e armazenados em nuvens podem ser analisados por pessoas especializadas da área, que poderão:

  • avaliar alterações musculares respiratórias, pois quantificam as forças expiratórias e inspiratórias, permitindo que sejam diagnosticadas patologias como insuficiência respiratória devido à falência de músculos;
  • avaliar fadiga e/ou falência muscular respiratória;
  • auxiliar na elaboração de protocolos terapêuticos, avaliando o comportamento da força muscular inspiratória máxima antes e após um treinamento muscular inspiratório em pacientes críticos com lesão medular incompleta sob ventilação mecânica invasiva; histórico das medições; dentre outros.
Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-376-3766

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes