Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Reitor participa de debate sobre Future-se em Porto Alegre



Os participantes demonstraram grande preocupação com o programa, que traz uma proposta de captação de recursos privados para as instituições federais de ensino superior.

Reitores das Universidades e Institutos Federais, representantes do poder público e da sociedade civil, docentes e estudantes reuniram na manhã de terça-feira, 13, na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) para o Painel “O futuro das universidades e institutos federais”, proposto pela ADUFRGS- Sindical. O reitor da UFSM, Paulo Burmann, participou da agenda, que debateu as propostas do Future-se. 

Os participantes demonstraram grande preocupação com o programa, que traz uma proposta de captação de recursos privados para as instituições federais de ensino superior, dentre outros pontos. O reitor Paulo Burmann apresentou sua avaliação inicial sobre o programa, destacando reivindicações como a reposição imediata dos recursos orçamentários das universidades. 

Entre aplausos do público presente, o reitor manifestou que esta reivindicação “é um grito de socorro, esse é o apelo urgente que precisamos fazer, sob pena de não darmos continuidade a nossas atividades na próxima semana”. Burmann lembrou que o impacto das restrições orçamentárias não complica apenas a vida dos gestores, mas de toda a comunidade universitária, incluindo os servidores terceirizados, que correm o risco de demissão por conta das revisões de contratos com as empresas que prestam serviços para a universidade. “O ânimo para discutirmos o Future-se está muito baixo, exatamente porque a preocupação de nós dirigentes e gestores de todas as universidades está na sobrevivência da semana que vem”, preocupa-se o dirigente da UFSM. 

Burmann mencionou também a questão da captação de recursos pelas universidades, que hoje são repatriados para a conta única da União. “O que o governo está propondo é o que as fundações de apoio já fazem. No entanto, por um dispositivo legal, a receita volta para a conta da União. Questionei na apresentação do Future-se se as fundações de apoio não podem cumprir com o papel da organização social, já que as fundações de apoio tem o seu knowhow a sua ligação com a universidade. A resposta foi um tanto quanto vaga. Mas o problema todo é que estarmos vinculados a uma organização social detona de ponta a ponta o processo de autonomia universitária”, preocupa-se o reitor.

Dentre os demais reitores que apresentaram seu posicionamento, a anfitriã da manhã, Lucia Campos Pellanda, Reitora da UFCSPA, apresentou os pontos principais do projeto e salientou que o mesmo não foi discutido em momento algum com os gestores das universidades e institutos federais. Além disso, reiterou que as instituições já desenvolvem o que o projeto prevê. “Nós já investimos na eficiência da gestão. Já fazemos mais de 90% da pesquisa e da inovação do país, sempre voltada para a sociedade. Já desenvolvemos projetos de inovação através das incubadoras tecnológicas e temos diversos projetos de internacionalização”, salienta Lucia. Ela alerta também para o fato de que muitos pontos devem ser esclarecidos para que o projeto possa ser de fato discutido.  “Aderir significa entrar num ambiente incerto, não temos clareza do que vai acontecer se aderirmos a essa proposta”, disse a reitora, que finalizou sua fala dizendo que a “Universidade é um projeto de Nação, de Estado, e não de governo”.

Fizeram parte da mesa principal do painel e se manifestaram também o presidente da ADUFRGS-Sindical, Paulo Aducs; o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), Rui Vicente Oppermann; a reitora da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Cleuza Maria Sobral Dias; o reitor da Universidade Federa de Goiás (UFG) e representando a ANDIFES, Edward Madureira Brasil; o reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pedro ALau; o reitor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Jaime Giolo; a vice-reitora da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Nadja Bucco;; a membro da Comissão de Educação da Ordem dos Advogados do Brasil, Sadi Maria Rosemnberg; o diretor da Academia Brasileira de Ciências, Ruben Oliven; o ex-reitor da UFRGS e representante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Carlos Neto; o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal, Henrico Rodrigo de Freitas; a vice-presidente do CPERS, Solange Carvalho; o vice-presidente da ADUFRGS-Sindical, Lucio vieira; o presidente da ANDES Sindicato Nacional, Antônio Gonçalves Filho; a vice-presidente Sul da UNE, Gabriela Silveira; o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo o representante da ASSURGS, Frederico Barths; e o representante da Associação de Mães e pais pela democracia, Renato Nakahara. 

Texto: Solange Prediger, com colaboração de Aline Dalmolin. Fotos: Solange Prediger/ Assessoria de Comunicação do Gabinete do Reitor


Publicações Recentes