Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto da UFSM recebe primeiro lugar em concurso de eficiência energética



Dois homens sentados mostram prêmio recebido
Mestrandos receberam prêmio por projeto de eficiência energética

O trabalho intitulado “Gestão de Energia Inteligente em Instituições Públicas” foi contemplado com o prêmio de mais completo e inovador no Concurso dos Melhores Projetos para Eficiência Energética do 16º Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE), realizado em São Paulo, nos dias 19 e 20 de agosto. A proposta foi desenvolvida no Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento “Soluções Inovadoras de Eficiência Energética e Minigeração em Instituição Pública Federal de Ensino Superior: Uma Abordagem na UFSM” do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE). Receberam o prêmio os mestrandos Luís Eduardo Rocha Nepomuceno e Pedro Daniel Bach Montani, ambos do PPGEE.

Segundo Pedro Montani, o incentivo do envio para o concurso partiu dos orientadores, professores Luciane Canha, Daniel Bernardon e Tiago Marchesan. “Existe uma proximidade e integração que encoraja o aluno a participar de qualquer desafio que possa surgir. Os professores orientam com muita motivação, o que gera uma força extra aos alunos. Sabíamos que era difícil o desafio, mas possível de ser atingido”, comentou.

O trabalho é uma parceria entre professores da UFSM, Empresa Mont Soluções e a RGE. Ainda em fase de implementação, a proposta tem como finalidade controlar e reduzir as despesas com energia elétrica da Universidade a partir da substituição de equipamentos ineficientes por outros de alto rendimento. “O projeto de P&D contribuirá para a criação de laboratórios de ensaios de inversores elétricos, instalação de medidores de energia elétrica nos Centros para acompanhamento do seu consumo com sistema de comunicação e uma central de controle de energia elétrica, além de trabalhar conceitos de sustentabilidade ambiental, conservação de recursos naturais e aproveitamento de recursos renováveis”, explicou o pesquisador.

O projeto tem a apoio institucional da Reitoria e já substituiu 1.300 lâmpadas em salas de aula, 56 pontos de iluminação pública na Avenida Roraima com tele gestão, e implementou um sistema de geração de energia elétrica a partir de células fotovoltaicas de 100 KWp. “Um prêmio é sempre um reconhecimento do trabalho bem realizado. No caso deste projeto, a equipe é ampla e empenhada”, destacou Montani.


Texto: Eloíze Moraes, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Edição: Maurício Dias


Publicações Recentes