Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto da UFSM recebe primeiro lugar em concurso de eficiência energética



Dois homens sentados mostram prêmio recebido
Mestrandos receberam prêmio por projeto de eficiência energética

O trabalho intitulado “Gestão de Energia Inteligente em Instituições Públicas” foi contemplado com o prêmio de mais completo e inovador no Concurso dos Melhores Projetos para Eficiência Energética do 16º Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE), realizado em São Paulo, nos dias 19 e 20 de agosto. A proposta foi desenvolvida no Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento “Soluções Inovadoras de Eficiência Energética e Minigeração em Instituição Pública Federal de Ensino Superior: Uma Abordagem na UFSM” do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE). Receberam o prêmio os mestrandos Luís Eduardo Rocha Nepomuceno e Pedro Daniel Bach Montani, ambos do PPGEE.

Segundo Pedro Montani, o incentivo do envio para o concurso partiu dos orientadores, professores Luciane Canha, Daniel Bernardon e Tiago Marchesan. “Existe uma proximidade e integração que encoraja o aluno a participar de qualquer desafio que possa surgir. Os professores orientam com muita motivação, o que gera uma força extra aos alunos. Sabíamos que era difícil o desafio, mas possível de ser atingido”, comentou.

O trabalho é uma parceria entre professores da UFSM, Empresa Mont Soluções e a RGE. Ainda em fase de implementação, a proposta tem como finalidade controlar e reduzir as despesas com energia elétrica da Universidade a partir da substituição de equipamentos ineficientes por outros de alto rendimento. “O projeto de P&D contribuirá para a criação de laboratórios de ensaios de inversores elétricos, instalação de medidores de energia elétrica nos Centros para acompanhamento do seu consumo com sistema de comunicação e uma central de controle de energia elétrica, além de trabalhar conceitos de sustentabilidade ambiental, conservação de recursos naturais e aproveitamento de recursos renováveis”, explicou o pesquisador.

O projeto tem a apoio institucional da Reitoria e já substituiu 1.300 lâmpadas em salas de aula, 56 pontos de iluminação pública na Avenida Roraima com tele gestão, e implementou um sistema de geração de energia elétrica a partir de células fotovoltaicas de 100 KWp. “Um prêmio é sempre um reconhecimento do trabalho bem realizado. No caso deste projeto, a equipe é ampla e empenhada”, destacou Montani.


Texto: Eloíze Moraes, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Edição: Maurício Dias


Publicações Recentes