Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto do Colégio Politécnico inova no setor da agricultura digital

O Advanced Farm 360 é um projeto que se torna referência no uso de máquinas com tecnologia embarcada, drones e produção de bioinsumos



Pulverização com drone

O projeto de desenvolvimento institucional Advanced Farm 360, iniciado neste ano no Colégio Politécnico da UFSM, vem se tornando referência na área de Agricultura Digital ou Agricultura 4.0. Por meio de ações de ensino, pesquisa, extensão e inovação e firmando parcerias com diversas empresas no setor agrícola, o projeto vem potencializando a formação na área, que se fundamenta na interpretação de dados obtidos por equipamentos – máquinas agrícolas com eletrônica embarcada e drones – e aplica a cada parte da lavoura um tratamento diferente, seja para adubações, pulverizações, número de plantas a serem estabelecidas, entre outras atividades. Esse manejo contrasta com o convencional, que trata os cultivos de forma homogênea e implica um maior uso de insumos agrícolas. Nos últimos dois meses, novas parcerias marcaram a ampliação das ações do projeto e a consolidação da instituição como referência na formação de recursos humanos em agricultura digital, que no colégio se inicia em 2010, com o mestrado profissionalizante na área, até a criação, em 2019, do Curso Técnico em Agricultura de Precisão.

No mês de setembro, foram iniciadas as operações com o drone de pulverização DJI Agras T16, adquirido pela instituição. Foram realizados testes com o equipamento e, nos meses de outubro e novembro, foram executadas algumas pulverizações em culturas agrícolas, apresentando excelentes resultados e confirmando todo o potencial que a tecnologia possui. Conforme explica o coordenador do projeto, professor Luciano Pes, a pulverização com drones apresenta uma série de vantagens quando comparada à tradicional. O auxílio das câmeras multiespectrais e termais facilita a identificação de plantas daninhas, pragas e doenças, realizando pulverizações localizadas e permitindo o uso de defensivos apenas em locais específicos, onde realmente é necessário. Além disso, o volume de água utilizado na pulverização é reduzido em mais de 80%.

Biofábrica vai funcionar na área nova do colégio

O mesmo foco em tecnologias e sustentabilidade se aplica à parceria com a empresa SoluBio Tecnologias Agrícolas, especializada em equipamentos, insumos e assistência técnica para a produção de bioinsumos on farm – produzidos na propriedade. Em outubro deste ano, a direção da empresa esteve no Colégio Politécnico, para visita ao projeto e celebração de uma parceria com a instituição. Já está em processo de instalação uma biofábrica no colégio, onde serão produzidos insumos biológicos, a serem utilizados nas ações de ensino, pesquisa e extensão. Para os próximos meses, está prevista a implantação de áreas demonstrativas e de pesquisa em diferentes setores agropecuários do colégio, bem como em propriedades rurais da região, com o objetivo de validar técnica e economicamente a utilização destes produtos. O uso de bioinsumos tem se mostrado uma prática eficiente para a redução de defensivos químicos e aumento de produtividade das culturas agrícolas. Conforme salienta o professor Luciano Pes, essa parceria é fundamental para o Colégio Politécnico alinhar suas atividades agrícolas com os objetivos de desenvolvimento sustentável.

Também em outubro deste ano, o Colégio Politécnico recebeu a visita da diretoria da empresa Massey Ferguson, que realizou a entrega de um trator novo, adquirido pela instituição. O equipamento possui diversas tecnologias embarcadas, como GPS, sensores, telemetria e piloto automático, o que promove um aumento da eficiência e da qualidade das operações mecanizadas. A parceria com a Massey Ferguson também possibilitará a cedência, por comodato, para o colégio, de um pulverizador autopropelido de última geração. Com esse equipamento, será possível que todas as operações agrícolas realizadas na área agrícola da instituição sejam monitoradas e gerem informações em tempo real, um dos pilares da agricultura digital.

Durante a visita, também foi realizada uma reunião para alinhar futuras ações da parceria entre a instituição e a empresa. O intuito é ampliar as atividades, contemplando não apenas as culturas agrícolas, mas também a parte zootécnica. E, como primeira ação desta nova linha de trabalho, o colégio recebeu, em meados de novembro, uma enfardadora, para produção de fardos de pré-secado, que serão utilizados para a alimentação do rebanho bovino da instituição.

Texto: Assessoria de Comunicação do Colégio Politécnico

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-57367

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes