Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM participa da criação de clusters tecnológicos no RS

Projeto do Cluster Agroinova é aprovado no Edital Inova Clusters Tecnológicos da Fapergs. Outro projeto coordenado pela UFRGS também conta com professores da UFSM



Dois projetos quem contam com a participação de professores da UFSM estão entre os selecionados no edital Inova Clusters Tecnológicos, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs). Trata-se de um aporte de R$24 milhões para o fomento de ecossistemas de inovação no estado. Serão criados 9 clusters tecnológicos em regiões estratégicas e portadoras de futuro no território gaúcho.

 O projeto “Cluster de desenvolvimento de produtos e serviços aplicados à agricultura inovadora e sustentável – Cluster AGROINOVA”, coordenado pelos professores da UFSM Nereu Streck (Departamento de Fitotecnia) e Marcio Antonio Mazutti (Departamento de Engenharia Química), com a participação dos professores Giovani Zabot, Marcus Vinicius Tres e Paulo Avelar Ferreira . Outro projeto conta com a participação de professores da UFSM: “Manufatura Avançada Utilizando Materiais Compósitos Polímeros Nanocarregados e Biopolímeros para Vasos de Pressão (MACOPV), coordenado pelo professor da Escola de Engenharia da UFRGS, Sandro Campos Amico e com participação dos docentes Maikson Tonatto, Giovani Zabot e Lucas Veiga Ávila, docentes da UFSM.

De acordo com a Secretaria Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, o edital buscava a criação de novos produtos e serviços em oito ecossistemas regionais prioritários, fomentando o adensamento tecnológico, transferência de tecnologia e crescimento sustentável do setor produtivo. Os clusters contemplados estão sediados em Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs), com participação de empresas e entidades do setor público distribuídas nas regiões definidas pelo programa Inova RS. O fomento busca estimular nestas regiões a formação de redes de cooperação, com a geração de produtos e serviços inovadores a partir das competências pré-existentes, além de modernizar e complementar a infraestrutura física e tecnológica. 

Criação de clusters visa expandir o potencial inovador e tecnológico do RS

O projeto da Cluster AGROINOVA, abrangerá as regiões definidas como Central, Produção e Norte, Serra e Hortências. De acordo com o professor Marcio Mazutti, o projeto visa consolidar um cluster regional para o desenvolvimento de produtos e serviços prototipados baseados em ciência, tecnologias e inovações, mirando a criação de soluções inteligentes e sustentáveis para a agricultura gaúcha em três áreas: produção e avaliação de bioinsumos multifuncionais para substituição de fertilizantes, fungicidas químicos e agrotóxicos, agrointensificação sustentável das culturas da soja, milho, arroz, trigo e aveia através da coleta de informações em bancos de dados para apropriação dos produtores e balanço e sequestro de carbono (quantificação de emissão de CO2).  “A conexão dessas três vertentes é incomum, porém indispensável para elevar o nível do Rio Grande do Sul, tornando-o referência em protocolos, produtos e serviços aplicados à agricultura sustentável”, explicou o professor.

São cinco universidades envolvidas: UFSM (Santa Maria e Cachoeira do Sul), Instituto Federal Farroupilha – IF FARROUPILHA, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI e Universidade de Cruz Alta – UNICRUZ. O cluster ainda engloba 15 empresas parceiras (startups ou empresas com diferentes níveis de maturação) ligadas à pesquisa, produção, desenvolvimento, avaliação e a comercialização de insumos ou de equipamentos utilizados na agricultura regional. Onze destas empresas estão na Região Central e as demais em outras regiões do RS, preferencialmente próximas às zonas de produção de conhecimento da área do tema, com diferentes interesses nos resultados do projeto.

Já o cluster MACOPV abrangerá as regiões Metropolitana e Litoral Norte, Sul, Central e Serra e Hortênsias. De caráter inédito no Brasil, o projeto contribuirá para a melhoria de desempenho em veículos automotores. De acordo com o professor Maikson Tonatto, o objetivo é constituir um cluster tecnológico e de engenharia dedicado à manufatura avançada, com foco em materiais compósitos para vasos de pressão, combinando competências e infraestrutura de instituições do RS para geração de inovação e desenvolvimento industrial. “Esse Cluster envolverá toda a fase de projeto até a criação de startups e spin-offs para inserção da tecnologia no mercado”, explicou.

Além da coordenação da UFRGS, o projeto conta com a participação de diferentes instituições e empresas gaúchas. Esse recurso será excencial para a geração de inovação e tecnologia para o estado do RS e no Brasil, especialmente para vasos de pressão para armazenamento de Gás Natural Veicular (GNV) e reservatórios de ar para a indústria automotiva e agrícola.

A implantação dos novos clusters fazem parte da estratégia de desenvolvimento em inovação e tecnologia em áreas como agronegócio, tecnologia da informação, segurança e defesa, saúde e economia criativa, visando um salto inovador e tecnológico no estado Rio Grande do Sul até o final da década, segundo meta definida pelo programa Inova RS. 

Reportagem: Davi Pereira

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-59005

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes