Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto de extensão da UFSM sobre educação fiscal concorre a prêmio nacional

“Educação fiscal na contabilidade” é desenvolvido pelo curso de Ciências Contábeis



Com o projeto “Educação fiscal na contabilidade”, a UFSM é uma das finalistas na categoria “Instituições” do Prêmio Nacional de Educação Fiscal de 2020, que foi suspenso naquele ano em razão da pandemia de Covid-19. A cerimônia da premiação acontecerá no dia 29 de novembro, na Embaixada de Portugal, em Brasília.

O prêmio é organizado pela Associação Nacional das Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite) e tem por objetivo valorizar projetos que atuem com as temáticas da função social dos tributos, a qualidade do gasto público e, da mesma forma, o acompanhamento do retorno dos recursos para a sociedade. Junto da Universidade, estão concorrendo o Observatório Social do Brasil, localizado em São Paulo, a 3ª Coordenadoria de Desenvolvimento da Educação, de Aracaju (SE), e a Secretaria de Educação de Lages (SC).

O projeto da UFSM, que faz parte da extensão do curso de Ciências Contábeis do Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH) e é coordenado pela professora Cristiane Krüger, tem como finalidade promover o desenvolvimento de ações educativas fiscais para a sociedade a partir da comunidade acadêmica. Além disso, busca esclarecer os “mistérios” pertinentes no que diz respeito aos direitos e deveres de um cidadão quanto à aplicação de tributos, como também a origem destas taxas.

Durante o período de quarentena, o tema já era fomentado pela equipe do projeto por meio de lives nas redes sociais. Outra atividade desenvolvida pelo projeto é na área de pesquisa, que, de acordo com Cristiane, “precisa ser desenvolvida para divulgar a educação fiscal”.

Ainda neste conceito de que o entendimento financeiro deve ser compreendido, a professora explica de que forma vencer o prêmio seria relevante. “A gente precisa falar de educação fiscal e ter uma noção mínima de que a universidade pública e de qualidade não é gratuita, alguém está pagando essa conta. O principal é essa ideia de valorização. Vai ter uma premiação em recurso também que a gente vai reverter para o projeto, mas, para mim, o principal é criarmos essa consciência”, declarou a coordenadora.

Para continuar acompanhando o projeto, basta seguir nas redes sociais.

Texto: Pedro Pereira, acadêmico de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias
Edição: Ricardo Bonfanti, jornalista

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-60491

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes