Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Estrutura

A evolução 

Após o início das construções, a UFSM não parou de crescer. A sequência de fotos revela o desenvolvimento da Cidade Universitária, que, em 1963 (primeira foto), contava com poucas instalações. A foto seguinte é um retrato aéreo da universidade em 1972, quando muitos dos prédios da UFSM já haviam sido construídos. Através destas fotografias, é possível visualizar a notável evolução da universidade em menos de uma década. Já a terceira imagem, do ano 2000, identifica a instituição atualmente. 

 

O desenvolvimento

Com o avanço estrutural da universidade, as instalações internas também se aperfeiçoaram, evoluindo paralelamente às tecnologias das quais se dispunha na época. Na primeira foto, temos o estúdio da Rádio Universidade, em 1970, quando a emissora completava dois anos de existência. A foto seguinte, de 1971, retrata os equipamentos usados pela imprensa universitária, que atendia tanto à universidade quanto à comunidade. A última foto, datada de 1972, marca a inauguração oficial da Biblioteca Central da UFSM, no campus. 

A ampliação 

Paralelamente ao desenvolvimento da universidade no campus de Camobi, em Santa Maria, outros centros da UFSM foram construídos.
Na primeira foto, do ano de 1972, temos um retrato da vista aérea do Colégio Agrícola do campus de Frederico Westphalen.
A foto seguinte retrata a estrutura da unidade da UFSM em Silveira Martins, a qual, desde sua criação, tem colaborado para o desenvolvimento do município e para a descentralização do ensino no Estado. 
Entretanto, como vemos na foto seguinte, a UFSM não estabeleceu centros somente no estado do Rio Grande do Sul. Ultrapassando os limites territoriais, a universidade implantou o Campus Avançado de Roraima, onde foram estabelecidos cursos superiores como extensões da UFSM. Localizado em Boa Vista, o campus deu origem à Universidade Federal de Roraima. Na foto, turma do Projeto Rondon em visita a Roraima, pelos 10 anos do campus avançado. 

Os símbolos

A década de 70 foi grandiosa para a UFSM, pois durante este período a instituição finalizou também obras consideradas marcos da universidade: pórtico de entrada da universidade, o planetário e o Parque de Exposições. Seja através das sessões do planetário – que conta também com o Museu Interativo de Astronomia – ou dos acontecimentos prestigiados no Parque de Exposições, tais edificações proporcionaram a aproximação da população de Santa Maria com a comunidade acadêmica.