Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Núcleo Interdisciplinar em Desenvolvimento Infantil

NÚCLEO INTERDISCIPLINAR EM DESENVOLVIMENTO INFANTIL (NIDI)

Pesquisa Em Atividade

Contato:

gruponidiufsm@gmail.com

Apresentação

NIDI- Núcleo Interdisciplinar em Desenvolvimento Infantil

Quem somos: Grupo de profissionais, docentes e discentes da Universidade Federal de Santa Maria que atuam na detecção e intervenção a tempo com bebês, e no período pré-escolar, com crianças pequenas e suas famílias. Profissionais da Educação, Fonoaudiologia e Psicologia atuam no grupo, que, por vezes, também integra o trabalho de discentes da Terapia Ocupacional, Fisioterapia e Educação Especial. Constitui-se, portanto, em um núcleo interdisciplinar, com integrantes do Centro de Educação, Centro de Ciências da Saúde e Centro de Ciências Sociais e Humanas.

Nossa missão: Nossa missão é realizar atividades de ensino, pesquisa e extensão que levem à excelência na formação de profissionais de Saúde e Educação para o cuidado na Infância.  

Histórico do grupo: O grupo iniciou seus trabalhos em 2011, a partir do desejo das professoras Fonoaudióloga Ana Paula Ramos de Souza e a Terapeuta Ocupacional Dani Laura Peruzzolo em criar um projeto de extensão que subsidiasse o ensino e a pesquisa compatíveis com a clínica de bebês. Por algum tempo as  professoras Dorian Mônica Arpini (UFSM) (2011 a 2014 ) e  professora Cristina Saling Kruel (UFN) (2011 a 2014), atuaram como consultoras em reuniões clínicas e em avaliações psicológicas no grupo. De março 2015 a  2019 a professorara Angélica Dotto Londero iniciou sua participação efetiva com estagiários e bolsistas no grupo, assumindo o setor de Psicologia. De 2014 a 2017 contamos com a professora Analu Rodrigues que representava o curso de  Fisioterapia no NIDI, substituindo a professora Cláudia Trevisan que não pôde mais participar. Em 2016 a professora Dani Laura criou núcleo independente na Terapia Ocupacional e a professora Analu não pôde mais permanecer no núcleo.

A partir de 2015 o núcleo de habilitação e reabilitação auditiva, liderado pelas professoras Eliara Pinto Vieira Biaggio e Themis Maria Kessler passou a ser um parceiro do NIDI. Em 2019, com a aposentadoria da Professora Themis apenas a professora Eliara permaneceu no NIDI.  Em 2016 a professora Angela Ruviaro Busanello-Stella e, em 2018, a professora Geovana de Paula Bolzan  se agregaram ao NIDI trabalhando nas questões alimentares infantis, tanto em aspectos da especialidade em Motricidade Orofacial quanto de Disfagia.

A motivação para a criação do grupo veio da observação de que os tratamentos oferecidos a bebês na cidade eram disciplinares e se assemelhavam aos de crianças maiores, com inserção de muitos profissionais sem a necessária troca interdisciplinar, e sem considerar as especificidades do psiquismo em construção do bebê.

Hoje o grupo ampliou sua motivação a partir da utilização de protocolos de detecção precoce de sofrimento psíquico e ao desenvolvimento, cujas pesquisas no grupo se intensificaram e foram concluídas a partir de 2012. Também ampliou abordagens a partir da inserção de grupos de musicalização com participação da Dra. Aruna Noal Correia desde 2014, procurando trazer abordagens educacionais de intervenção a tempo e precoce. 

O que fazemos: Realizamos atendimentos clínicos interdisciplinares de bebês e crianças pequenas (até 6 anos) com transtornos do desenvolvimento decorrentes de limitações biológicas evidentes, como déficits sensoriais (auditivo, visual, corporal), deficiência intelectual decorrente de síndromes orgânicas, deficiências físicas como a encefalopatia motora não progressiva e demais doenças musculares, transtorno do espectro do autismo, distúrbios específicos de linguagem, distúrbios psicomotores entre outros problemas do desenvolvimento infantil que afete a faixa etária estudada.

Os atendimentos clínicos incluem núcleos específicos por disciplina vinculados a estágios curriculares (terapia ocupacional, fisioterapia, habilitação e reabilitação auditiva) e núcleos interdisciplinares em que todas as profissões atuam em conjunto como ocorrem com bebês com limitações orgânicas mais graves (Fonoaudiologia, Psicologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional) e o núcleo de atuação Fonoaudiologia e Psicologia que atua com crianças com distúrbio de linguagem e/ou risco psíquico.

Além desses núcleos, há dispositivos que favorecem a interdisciplinar como as reuniões clínicas quinzenais para discussão de casos inscritos pelos distintos núcleos, as interconsultas e os atendimentos conjuntos entre dois núcleos (ampliar educação).

A quem estamos vinculados: O NIDI tem vinculação na UFSM com os Centros de Ciências da Saúde, de Ciências Sociais e Humanas e de Educação, além do Hospital Universitário de Santa Maria (seguimento de prematuros e setor de disfagia pediátrica). Na cidade possuímos vinculações com a Universidade Franciscana (UFN), o Centro de Atendimento Psicossocial da Infância (CAPSi) e a Associação de Pais e Amigos de Excepcionais – APAE – Santa Maria.

Fora de Santa Maria, o NIDI está vinculado ao grupo PREAUT –Brasil e França, a Universidade de Évora (Portugal), a docentes do curso de Fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), à Escola de Estudos Psicanalíticos (Caxias do Sul), a docentes do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a docentes do Curso de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Minas Gerais e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e ao Instituto Langage (SP) e Núcleo interdisciplinar de intervenção precoce (NIIP) em Salvador.

Histórico de eventos: A cada dois anos o NIDI realiza Seminários em detecção e intervenção precoces. Já realizamos três eventos com média de 120 pessoas em cada, nos anos de 2014, 2016 e 2018. Em 2020, realizaremos o primeiro evento ampliando o escopo da temática para a pré-escola, ou seja, I Seminário Interdisciplinar em Desenvolvimento Infantil e IV Seminário em Detecção e Intervenção Precoces.