Ir para o conteúdo Observatório de Direitos Humanos Ir para o menu Observatório de Direitos Humanos Ir para a busca no site Observatório de Direitos Humanos Ir para o rodapé Observatório de Direitos Humanos
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projetos do eixo Saúde mental

Projetos 2022:

Coordenadora:  Célia Helena de Pelegrini Della Mea

Sendo a linguagem ‘heteróclita e multifacetada’ (pois é, ao mesmo tempo, física, fisiológica e psíquica) pertencente aos interesses de domínios diversos, os estudos sobre a linguagem interpõem a interdisciplinaridade como foco de conhecimento mais amplo sobre ela. Nesta perspectiva interdisciplinar (fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional, letras, etc), esta proposta extensionista, que concebe homem e linguagem indissociáveis, pois a linguagem é da natureza humana, tem por objetivo promover a atualização das ações no Grupo Interdisciplinar de Convivência (GIC), fundado em 2010, por Elenir Fedossi, docente do curso de Fonoaudiologia da UFSM. O GIC é um grupo interdisciplinar de convivência (GIC) entre sujeitos com e sem afasia (comunidade de fala), interessados em compartilhar suas experiências, manifestando as múltiplas semioses envolvidas nas variadas formas de expressão no processo interativo (oral e escrito).

 Nesse intuito, promovem-se reuniões semanais, com duração de duas horas e trinta minutos, a fim de, por meio da promoção de ações com situações reais de interações diversas, proporcionar acompanhamento interdisciplinar aos sujeitos com afasia (usuários do SAF) e com isso ampliar os conhecimentos sobre a linguagem na formação de profissionais de variadas áreas de estudo (cursos de graduação em Fonoaudiologia, Psicologia, Letras e Terapia Ocupacional e pós-graduação em Distúrbios da Comunicação Humana da UFSM). Para além do cuidado interdisciplinar, com esta proposta continuada, presumimos a promoção de ações de educação em saúde e o favorecimento de espaço para realização de estágios supervisionados por profissionais de áreas da saúde.

 

 
Coordenadora:  Silvana Bastos Cogo
O projeto de extensão que se pretende desenvolver tem por objetivo geral aplicar PICS na comunidade santameriense e região, bem como em estudantes e servidores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Dentre os objetivos específicos, estão: proporcionar a comunidade atendida o (re) conhecimento e os benefícios das PICS no cuidado a sua saúde; atendimento aos munícipes de Santa Maria e região, bem como a estudantes, servidores e usuários do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) e da UFSM; divulgar o Laboratório de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (LAPICS); estimular a participação no ensino, pesquisa e extensão dos estudantes de graduação, pós-graduação e de residência, quanto as PICS; possibilitar visitas de caráter educativo no LAPICS e realizar estudos avaliativos referentes às PICS aplicadas no LAPICS. 
A metodologia se caracteriza como multiplicadora de ideias e fomentadora do cuidado e autocuidado à saúde, por meio do uso das PICS na qualidade de vida das pessoas. Poderão participar a comunidade santamariense e da região, bem como estudantes e servidores da UFSM, os encaminhamentos aos atendimentos serão encaminhados pela Secretária Municipal de Saúde do Município de Santa Maria, Coordenadoria de Saúde e Qualidade de Vida do Servidor (CQVS) – UFSM e pelo Núcleo de Apoio à Aprendizagem em Educação (ÂNIMA) – UFSM, com agendamento prévio. Pretende-se desenvolver no período de dezembro de 2017 a dezembro de 2022. Espera-se, com a execução do projeto, além do fortalecimento do LAPICS, à criação de um espaço didático multidisciplinar na região central da cidade de Santa Maria e de fácil acesso, que possibilite o (re) conhecimento das PICS, independente das condições socioeconômicas, culturais e religiosas dos participantes. Que este espaço, seja um importante instrumento educativo e transformador no cuidado e autocuidado à saúde humana, bem como um local de referência no desenvolvimento de ensino, pesquisa e extensão sobre as PICS no referido município em parceria com a UFSM.
 

Coordenadora: Dorian Monica Arpini

Este programa visa, através de um trabalho interdisciplinar, mediar situações que envolvam conflitos familiares a fim de minimizar o sofrimento das famílias que passam por momentos de crise, separações ou situações de violência. O programa será desenvolvido junto ao Núcleo de Assistência Judiciária, Órgão Suplementar do Centro de Ciências Sociais e Humanas, vinculado à Universidade Federal de Santa Maria. Através de uma triagem permanente, realizada pela Assistente Social do Núcleo, os casos referentes ao Direito de Família serão encaminhados para o serviço de Psicologia.

Em seguida, será feito o agendamento de uma entrevista inicial com a parte que procurou o Serviço. Após, se agendará uma mediação com as partes envolvidas, na qual se farão presentes um dos estagiários do Curso de Psicologia, a assistente social do Núcleo e um acadêmico estagiário do Curso de Direito. Ambas as partes serão ouvidas, cada qual com sua versão, e dar-se-á início à busca pelo diálogo, dentro das intenções buscadas pela Mediação. Todos os casos atendidos serão registrados em um prontuário do Serviço de Psicologia. Pretende-se com este trabalho, ir além da resolução da demanda judicial, estabelecendo um espaço de diálogo em que a solução para o conflito é construída conjuntamente, contribuindo desta forma para o protagonismo das partes e resgate das relações familiares.

Projetos 2021:

No ano de 2021, 02 projetos da UFSM foram contemplados com o recurso do Observatório de Direitos Humanos da UFSM no eixo Saúde mental. Para saber mais sobre os projetos, acesse:

Coordenador: Juarez Felisberto

Em acordo com a política nacional de segurança alimentar e nutricional (PNSAN)* visando o enfrentamento das situações de déficit alimentar e nutricional, sobretudo dos grupos em situação de maior vulnerabilidade social, o projeto se propõe a ocupar espaço ocioso pertencente à Associação de Moradores Dom Ivo Lorscheiter (Amordil), visando a produção de hortaliças, plantas condimentares e fitoterápicas, como eixo fundamental de uma estratégia de mobilização e organização comunitária de estímulo a alimentação saudável, ações sócio-ambientais e a saúde preventiva (laborterapia). O projeto partiu do interesse e por iniciativa da associação de moradores, com reuniões (Rodas de Conversa) já realizadas e ações discutidas em conjunto, sendo que já foram definidos os critérios e as inscrições dos interessados, bem como a delimitação do espaço físico, a confecção de alguns canteiros e o cercamento da área. • Decreto nº 7.272, de 25 de agosto de 2010, que “regulamenta a Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006, que cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas a assegurar o direito humano à alimentação adequada, institui a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – PNSAN..”

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.

Coordenador: Vitor Crestani Calegaro

A pesquisa COVIDPsiq, que busca monitorar a evolução de sintomas emocio-nais em brasileiros durante a pandemia de COVID-19, vem mostrando que as pessoas pioraram a saúde mental. São diversos fatores relacionados a isso, entre eles: distanciamento social, interrupção de atividades, problemas socioe-conômicos, possibilidade de contágio e violência doméstica. Adicionalmente, descontinuação de tratamentos em saúde mental devido ao fechamento de serviços agravam ainda mais o problema. A pesquisa identificou participantes com depressão grave sem atendimento psicológico ou psiquiátrico. Assim, ini-ciativas de prevenção e promoção da saúde mental tornam-se urgentes. Este projeto complementa a pesquisa COVIDPsiq e possui os objetivos: (1) realizar psicoeducação para a população geral a partir dos resultados gerados; (2) ofer-tar atendimentos em Primeiros Cuidados Psicológicos (PCPs) para os partici-pantes que entrarem em contato com os pesquisadores; e (3), capacitar equipes de profissionais da saúde em PCPs. A psicoeducação é uma forma de inter-venção individual ou de grupo, com a finalidade de ensinar ao paciente sobre a patologia e seu tratamento. Os PCPs são um conjunto de ferramentas de supor-te emocional que visam o manejo inicial dos casos, recomendações em saúde mental e encaminhamento às equipes multiprofissionais para tratamento. A psicoeducação será ofertada semanalmente através de lives nos canais de streaming da COVIDPsiq. Os PCPs serão ofertados por médicos e psicólogos graduados via teleatendimento, após treinamento prévio. As capacitações serão organizadas junto às Secretarias Municipais de Saúde, destinadas aos profis-sionais da área da saúde, sendo executadas à distância. Estima-se que o proje-to alcance um público mensal de 500 a 1000 pessoas. Espera-se que este pro-grama possa minimizar as consequências atuais e futuras da atual pandemia para a saúde mental da população, e sobretudo dos participantes da pesquisa.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.