Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Decisão sobre o novo sistema de cotas na UFSM fica para sexta-feira



Na manhã de quarta-feira (7), o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da UFSM esteve reunido em sessão extraordinária para discutir a retificação do edital do Vestibular 2012, em função do novo sistema de cotas, regulamentado pelo Decreto nº 7.824/2012. Depois de um pouco mais de uma hora de discussão, a bancada dos estudantes pediu vistas do processo, ficando a definição para a próxima sexta-feira (9), quando o Cepe se reúne novamente.

A discussão do tema no Cepe iniciou por volta das 9h com uma apresentação do reitor da UFSM, Felipe Martins Müller, esclarecendo a proposta feita pela Administração Central. Segundo o reitor, a Universidade reserva hoje 39% de vagas, das quais 20% são para alunos que cursaram Ensino Básico e Médio em escolas públicas, 14% para afrodescendentes e 5% para pessoas com deficiência.

A proposta apresentada pela Administração defende a reserva de 34% das vagas para alunos que estudaram o Ensino Médio em Escola Pública, e prevê o prazo de 10 dias, a partir do momento que a retificação seja publicada, para que os candidatos inscritos optem novamente pelas cotas. Em sua fala, Müller explicou que a ideia foi adequar o vestibular da UFSM ao novo sistema de cotas previsto pela lei 12711/2012 sem provocar grandes alterações no edital em andamento.

Por outro lado, os representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) requerem a aprovação de no mínimo 50% das vagas para estudantes oriundos de escolas públicas já para o Vestibular com edital vigente. Os estudantes argumentam que as ações afirmativas são importantes para combater as desigualdades, mas ainda é preciso fazer mais. Eles defendem que a UFSM, já neste momento, deve avançar mais em relação ao tema: “o que estava em discussão hoje era um parecer muito recuado em relação ao que já vem ocorrendo no Brasil, pois muitas universidades que já tinham as ações afirmativas implantadas, avançaram no processo. Na nossa Universidade, entretanto, a proposta foi manter o que já vinha sendo feito, não avançando praticamente em nenhum ponto”, afirmou a estudante Adriele Manjabosco, da bancada dos estudantes.

O novo sistema de cotas prevê a reserva de 12,5% das vagas em 2012, devendo atingir o mínimo de 25%, em 2013. Segundo o Decreto Nº 7.824/2012, a implantação das cotas se dará gradualmente, chegando a 50% vagas para ingresso em 2016.

Confira os detalhes da reunião:

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes