Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Troca de experiências e aprendizados



Desde 2005, o Projeto Rondon atua com o objetivo de integração social, buscando soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população. É coordenado pelo Ministério da Defesa e conta com a participação voluntária de estudantes universitários. Realizado, ainda, em parceria com outros Ministérios, apoio das Forças Armadas e colaboração de Governos Estaduais, Prefeituras Municipais e empresas socialmente responsáveis.

O Projeto prioriza regiões com maiores índices de pobreza e exclusão social, bem como áreas isoladas do território nacional que necessitem de maior aporte de bens e serviços. Tendo como foco, então, as regiões norte e nordeste do país.

Duas vezes ao ano, grupos de professores e universitários de todo país chegam até essas regiões com o objetivo de capacitar multiplicadores. As ações são dirigidas principalmente a professores, agentes de saúde, integrantes de conselhos, e demais pessoas que difundirão o aprendizado obtido com os acadêmicos.

Neste ano, a Universidade Federal de Santa Maria irá ministrar o conjunto A de áreas temáticas (Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde), juntamente com a Faculdade de Tecnologia, Ciências e Educação (FATECE), de Pirassununga-SP, que vai desenvolver atividades do conjunto B (Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho). O objetivo é que as duas universidades trabalhem integradas no Município de Teodoro Sampaio, na Bahia.

A universidade vai participar da Operação “Canudos” com oito alunos, que ainda serão selecionados, sob coordenação do professor Ronaldo Martins Glufke. Além da participação do professor Ubiratan Tupinambá da Costa, mais conhecido como Bira, que sempre esteve à frente do projeto Rondon na UFSM. Segundo Bira, serão priorizados os alunos diretamente ligados às áreas de atuação.

Bira ressalta que através da experiência, o aluno, além de colaborar com a comunidade visitada, adquire aprendizagem para sua formação e, muitas vezes, consegue enxergar novas possibilidades de atuação. Esta ideia é confirmada pelos alunos que tiveram a oportunidade de participar de alguma das operações do Rondon.

É o caso da acadêmica do curso de Comunicação Social (na época, Jornalismo e Relações Públicas), Nádia Garlet, que participou da Operação “Rei do Baião”, na cidade de Orocó, no sertão pernambucano, em julho de 2010. Nádia afirma que a experiência de convivência com uma cultura completamente diferente da nossa, mesmo estando no mesmo país, foi marcante. “Além disso, participar do Projeto Rondon é um aprendizado muito grande, pois você convive com pessoas de outros cursos, aprendendo um pouco sobre cada um deles, e aprende muito com o povo local. É uma troca: ensinamos um pouco e aprendemos muito”. Ainda segundo ela, “é uma experiência muito boa para quem gosta de trabalhar com a comunidade e com pessoas”. 

Em 2011, a acadêmica Mariana Gaida foi a representante do curso de administração na Operação “Arara Azul”, na Cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Para ela, apesar de serem poucos dias de operação, a grande mudança gerada é pessoal. “A operação em que eu participei diferenciou-se por ser uma cidade ainda de grande porte na região do Mato Grosso do Sul, e por causa dessa e outras características, acredito firmemente que muito mais aprendemos do que ensinamos. Realmente o Projeto Rondon é uma lição de vida e cidadania, pelas comunidades que nos recebem, para que nós, estudantes, possamos aprender ainda mais, provando mais uma vez a força e o alcance das atividades de extensão”, afirma Mariana.

Os alunos que se enquadrarem nas áreas temáticas do Conjunto A, ainda podem fazer a inscrições até a quinta-feira, dia 8. Para participar, além de outros requisitos, o aluno deve ter ao menos 70% da graduação cursada e participar ou já ter participado de projeto de extensão. Após o término desse período, todos os projetos serão analisados e as reuniões com os selecionados começam imediatamente.

O modelo de formulário e mais informações sobre o Projeto e inscrições podem ser acessados na página da Pró-reitoria de Extensão

Repórter:

Patricia Michelotti – Acadêmica de Jornalismo

Edição:

Lucas Durr Missau.


Publicações Recentes