Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

‘UFSM nas Ruas’ promove o Seminário de Políticas Públicas para a População de Rua

Nesta quinta-feira (29), tem início o I Seminário de Políticas Públicas para a População de Rua da UFSM. A ação, organizada por alunos e professores do curso de Terapia Ocupacional (TO), em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão (PRE) da Universidade, por meio do Projeto UFSM nas Ruas, tem como objetivo discutir as políticas básicas relacionadas à população que vive em situação de rua em Santa Maria, bem como estimular a reflexão social sobre a temática.

O Seminário é uma das ações desenvolvidas pelo Projeto UFSM nas Ruas, vinculado à PRE. Segundo o professor Francisco Nilton de Oliveira, do Departamento de Terapia Ocupacional e organizador do Seminário, a proposta de criação do ‘UFSM nas Ruas’ surgiu a partir de alguns fatores específicos. Neste caso, destaca-se a experiência e a participação da professora Amara Holanda Battistel, também vinculada ao Departamento de Terapia Ocupacional e organizadora do Seminário, na ação voluntária conhecida como ‘Café Solidário’.

A atividade ocorre nas manhãs de domingo, na Praça Saldanha Marinho, centro de Santa Maria, e é realizada por um grupo de pessoas motivadas em acolher e assistir a população que vive em situação de rua no município. Conforme explica a professora, um dos intuitos do grupo era pensar em formas de mobilizar a cidade, prefeitura e instituições em relação ao conhecimento e à execução de políticas públicas que pudessem melhorar as condições de vida dos moradores de rua. Pensando nisso, Amara propôs a criação do Projeto na Universidade, além de sugerir a parceria com o professor Francisco Nilton, responsável em trabalhar a perspectiva do trabalho social na Terapia Ocupacional.

A partir das atividades propostas durante o Seminário de Políticas Públicas, os moradores que vivem em situação de rua serão transportados, ainda pela manhã, desde a Casa de Passagem e da Praça Saldanha Marinho até a UFSM. No campus, além do café da manhã e do almoço no Restaurante Universitário, participarão de palestras previstas durante a programação e irão conhecer o Jardim Botânico. Para Amara, a experiência é fundamental para essa população, pois representa uma possibilidade de vislumbrar um cenário de vida diferente do qual estão inseridos. Conforme a professora, muitos deles têm uma profissão, mas hoje não a exercem “Então voltar para esse ambiente (da Universidade) é uma forma de também instigar eles a realmente sair da sua situação atual e buscar esses caminhos novamente. Porque eles estão na situação de rua não por culpa deles, ou porque eles querem, mas o fato de ver e ter contato de novo com aquilo que um dia ele teve, pode mobilizar mais essa potência interior de aproveitar o que vem sendo oferecido”, explica.

 Atividade discutirá políticas e assistência

Outro objetivo o I Seminário de Políticas Públicas para a População de Rua é proporcionar aos alunos, professores,pesquisadores e comunidade em geral um espaço de formação e reflexão. Ainda, conforme Amara, esta é uma oportunidade para que provocar a sensibilização e a formação dos acadêmicos com um “olhar para o outro”, voltando a atenção para a diminuição das diferenças sociais. Francisco explica que a reflexão parte da discussão sobre a Política Nacional paraa População em Situação de Rua, aprovada pelo Decreto 7.053/2009. De acordo com o professor, a ideia é sim trazer a discussão teórica sobre o tema, já que o Seminário ocorre na academia, porém não se restringirá apenas a esse aspecto. Nesse sentido, pretende-se pensar as políticas públicas desenvolvidas principalmente em Santa Maria por meio da participação coletiva, inserido a população que vive em situação de rua no município durante o debate e proporcionando um espaço onde eles poderão falar e serão ouvidos.

Os professores ressaltam que as políticas públicas desenvolvidas em Santa Maria e que estão relacionadas aos moradores que vivem em situação de rua, ainda são bastante incipientes. Além de questões práticas, como o fechamento do Restaurante Popular, responsável por oferecer refeições a baixo custo para a população em vulnerabilidade, e as dificuldades em utilizar os banheiros públicos localizados nas praças da cidade, que em alguns períodos do dia ficam fechados. Existem questões institucionais que ainda não foram resolvidas.

Francisco explica que atualmente os moradores são acolhidos na Casa de Passagem e assistidos pelo Conselho Regional de Serviço Social (CRESS), além do Centro de Referência de Assistência Social (Cras). Entretanto, segundo o professor, é necessário um melhor planejamento de políticas municipais capazes de articulara interface da saúde com a assistência social, para que o atendimento aos moradores de rua seja melhorado.

Durante a programação do seminário, serão debatidos temas relativos à Política Nacional de Assistência Social no Rio Grande do Sul e a Política de Assistência a Moradia.  Além destas, serão discutidas questões relativas à integração entre a Assistência Social com a saúde e geração de renda. Na ocasião, os moradores terão espaço para contar suas histórias ao público.

O I Seminário de Políticas Públicas para a População em Situação de Rua da UFSM ocorre nos próximos dias 29 e 30, no Salão Imembuí, localizado no prédio da administração central da Universidade. A participação é aberta à comunidade acadêmica e a população interessada, mediante a inscrição prévia e gratuita pelo e-mail: seminario.pop2930@gmail.com. Os estudantes inscritos receberão certificado de 16h pela participação durante os dois dias de evento. A programação completa da atividade pode ser conferida na página do evento no Facebook.

Texto: Bárbara Marmor, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias

Edição: Maurício Dias