Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Laboratório de Climatologia em Ambientes Subtropicais

LABORATÓRIO DE CLIMATOLOGIA EM AMBIENTES SUBTROPICAIS (LACAS)

Ver no Diretório de Grupos da CNPq Pesquisa Em Atividade

Contato:

cassio@ufsm.br Prédio:17 Sala:1018

Apresentação

HISTÓRICO E MISSÃO DO GRUPO DE PESQUISA

Desde o ano de 2012, o Laboratório de Climatologia Ambiental e Subtropical (LaCAS), coordenado pelo Prof. Dr. Cássio Arthur Wollmann, vem desenvolvendo projetos de pesquisa e extensão vinculados às linhas de pesquisa da Climatologia Geográfica, Climatologia Regional e Clima Urbano e Conforto Ambiental e Climatologia Urbana.

O objetivo principal do grupo de pesquisa é a formação de recursos humanos em Geografia e Climatologia Geográfica, cujos profissionais possuem a formação baseada na discussão do estudo do clima a partir de considerações feitas em diferentes escalas de abordagem dos fatos climáticos (da zonal à microclimática), procurando a interação dos elementos climáticos para a identificação de climas em consonância com os postulados da dinâmica climática.

Da análise climática conjuntiva e das intervenções introduzidas pelo homem no espaço geográfico derivam-se as pesquisas da Bioclimatologia Humana e Vegetal e de Clima Urbano, como resultados diretos da relação clima-saúde, clima-produção agrícola e da relação entre o clima e a configuração do sítio urbano e a dinâmica funcional nas cidades.

Entender todos os fenômenos atmosféricos de baixa altitude que compõem o mosaico do clima no espaço geográfico são os objetivos desse grupo para o clima subtropical sul-brasileiro, sempre com o intuito de se entender o clima como organizador do espaço geográfico subtropical brasileiro.

Para tal, o grupo de pesquisa caracteriza-se pela ampla execução de trabalhos de campo com intuito de coleta de dados climáticos de natureza primária, para posterior análise em ambiente de laboratório. Para realização destas atividades de pesquisas, conta-se com o apoio e recursos de agências de fomento nacionais (CNPq, CAPES, CAPES/PROCAD, FAPERGS), além dos financiamentos de bolsas de iniciação científica FIPE/UFSM, FAPERGS e PIBICIC/CNPq.

 

PARCERIAS E REDES INSTITUCIONAIS

Ao longo do tempo, o laboratório estabeleceu acordo com outras instituições para o desenvolvimento de parcerias em pesquisa, ensino e extensão, principalmente:

  • Programa de Pós-graduação em Geografia Física, da Universidade de São Paulo (USP)
  • Programa de Pós-graduação em Geografia, da Universidade Federal de Jataí (UFJ)
  • Programa de Pós-graduação em Geografia da Fundação Universidade de Rondônia (UNIR).
  • Instituto Federal Farroupilha (IFFAR/RS).
  • Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
  • Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (FEPAM/RS).
  • School of Property, Construction and Project Management da Royal Melbourne Institute of Technology University (RMIT-Australia).

Em 2019, o líder do grupo passou a integrar a Rede Climas Subtropicais (RCS), que envolve os principais pesquisadores da Climatologia Geográfica do sul do Brasil, com sede da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Em 2020, passou a membro da International Association for Urban Climate (IAUC) e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2 – (Edital 09/2020 CNPq).

 

PROJETOS EXECUTADOS E EM ANDAMENTO

Entre os anos de 2012 e 2015, o LaCAS esteve envolvido na execução do projeto intitulado “Análise e definição das unidades climáticas na Estação Ecológica do Taim, RS: contribuição ao estudo do clima e dos impactos ambientais em unidades de conservação” com apoio e financiamento da FAPERGS (Edital ARD 02/2012), e teve por objetivo principal suprir humildemente uma lacuna nos estudos de climatologia aplicado às Unidades de Conservação, utilizando como espaço de análise uma área protegida do Estado do Rio Grande do Sul, sob condições climáticas subtropicais, com informações climáticas detalhadas orientadas principalmente à formulação de políticas de gestão das unidades protegidas, bem como servir de subsídio aos estudos realizados pelas mais diversas áreas da ciência, como Geografia, Biologia, Meteorologia, Hidrologia, Ecologia, Oceanografia e demais ciências da Terra.

Seu principal produto científico foi a produção de um atlas (Atlas Climático da Estação Ecológica do Taim) de natureza geográfica, compreendendo principalmente as áreas da climatologia e cartografia, com emprego de técnicas de geoprocessamento. Foi concebido através de projetos de pesquisa e parcerias entre o Curso de Geografia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/RS), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Já entre os anos de 2014 e 2020, o grupo de pesquisa envolveu-se na execução do projeto de pesquisa em rede intitulado “Análise integrada em bacias hidrográficas: estudos comparativos com distintos usos e ocupação do solo (Edital PROCAD 71/2013 Processo número 88881.068465/2014-01)” cujo objetivo maior foi estabelecer um conjunto de pesquisas a partir do uso de técnicas diversas aplicadas pela ciência geográfica, com realização de trabalhos de campo em bacias hidrográficas selecionadas, em rede estabelecida entre os Programas de pós-graduação em Geografia da Universidade de São Paulo/SP, Universidade Federal de Santa Maria/RS e Universidade Federal de Goiás (Regional Jataí), atualmente, Universidade Federal de Jataí/GO.

Ao longo de 06 anos de execução do Projeto PROCAD, a equipe teve como objetivo maior, além das orientações em nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, a realização de eventos anuais da equipe nas cidades executoras, dos quais sempre foi produzido um material de publicações, na forma de livros ou edições especiais de periódicos. Ainda, a equipe escolhia anualmente os principais simpósios e congressos nacionais que englobassem a possibilidade de todos os participantes irem e apresentarem suas pesquisas, além de simpósios internacionais. Ao longo da execução de todo o projeto PROCAD, foram produzidas duas edições especiais em periódicos, e dois livros.

Entre 2017 e 2018, o líder do grupo realizou estágio pós-doutoral no Programa de Pós-graduação em Geografia Física da Universidade de São Paulo (PPGF/USP), conforme preconizava o Edital PROCAD 71/2013. Ressalta-se ainda que, o Programa de Pós-graduação em Geografia da UFSM, no ano de 2017, subiu de conceito 4 para 5, o que em muito está relacionado ao Projeto PROCAD.

Em 2019 o LaCAS iniciou um novo projeto de grande envergadura intitulado “O Sistema Clima Urbano de Balneário Camboriú/SC”. A pesquisa segue uma linha teórica e metodológica que trata de avaliar a evolução nítida e ininterrupta da morfologia urbana em Balneário Camboriú e a forma como ela promove mudanças na dinâmica do campo termo-higrométrico da cidade, influenciando também no conforto humano da população em espaços abertos, bem como na concentração de material particulado em suspensão, e em áreas de risco de eventos extremos de precipitação. Essas mudanças podem até ser investigadas no âmbito de futuros cenários climáticos.

A verticalização em ambientes climáticos subtropicais pode ter efeitos potencializados quando comparados aos ambientes tropicais e equatoriais, dada a disponibilidade de energia solar e sua distribuição variável ao longo do dia, principalmente no verão. Estudos em grandes metrópoles costeiras, como Nova York, Los Angeles, Tóquio, Nicósia, Atenas, Cingapura e Hong Kong servem de referência, mas, embora sejam litorâneas, não estão na mesma latitude subtropical de Balneário Camboriú e não possuem as mesmas condições geourbanas.

Para tanto, busca-se investigar este microclima urbano particular por meio de seis objetivos de pesquisa como segue:

1) determinação das zonas climáticas locais;

2) explorar a gênese, intensidade, frequência, duração e espacialização do UHI;

3) avaliação do conforto térmico humano em espaços abertos em Balneário Camboriú;

4) monitoramento de material particulado em suspensão na atmosfera urbana;

5) ocorrência de eventos extremos de precipitação ocorridos e vulnerabilidade urbana;

6) projeção de cenários microclimáticos futuros de posse dos resultados biometeorológicos da população pesquisada.

 

CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES PRIVADAS E PÚBLICAS

Em função destes projetos desenvolvimento ao longo da história do grupo de pesquisa “LaCAS”, convênios com instituições privadas e públicas foram feitos, cujas parcerias fomentam a pesquisa em nível de graduação e pós-graduação. Entre as principais parcerias, destacam-se:

  • Pasqualotto GT Empreendimentos (Balneário Camboriú/SC).
  • METOS Estações Meteorológicas Inteligentes (Itajaí/SC).
  • Koeddermann Consultores Associados (Balneário Camboriú/SC).
  • Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú/SC.
  • Lar dos Idosos São Vicente de Paula (Balneário Camboriú/SC).
  • Empresa Municipal de Água e Saneamento – EMASA (Balneário Camboriú/SC).
  • Jornal Página 3 (Balneário Camboriú/SC).
  • Eluma Clínica Veterinária (Balneário Camboriú/SC).
  • Paróquia Santa Inês (Balneário Camboriú/SC).
  • Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso (Balneário Camboriú/SC).
  • Corpo de Bombeiros Militar (Balneário Camboriú/SC).
  • Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – EPAGRI (Itajaí/SC).
  • gEoe Topografia & Engenharia – Horizontina/RS.
  • Prefeitura Municipal de Santa Maria/RS.

 

EQUIPE DO LaCAS

Prof. Dr. Cássio Arthur Wollmann

Jakeline Baratto

Bianca Marques Maio

Ismael Luiz Hoppe

Iago Turba Costa

Tarcísio Oliveira da Costa

Aline Nunes da Silva

Luana Writzl

 

EQUIPAMENTOS E MATERIAIS DISPONÍVEIS

  • 1 notebook Dell Inspiron 1525
  • 1 notebook Dell Inspiron Core i7 8th gen.
  • 1 computador desktop HP
  • 1 impressora HP
  • 20 termo-higrômetros com datalogger Instrutherm HT-500
  • 20 mini-abrigos meteorológicos com haste de ferro
  • 10 mini-abrigos de madeira
  • 10 pluviômetros artesanais
  • 5 pluviômetros analógicos Incoterm 150mm
  • 1 termo-higro-barômetro- anemômetro digital Instrutherm
  • 1 luxímetro digital Instrutherm
  • 2 termômetros de solo digital Instrutherm
  • 20 termômetros analógicos de mercúrio
  • 7 Squitters
  • 1 Estação meteorológica Campbell CR-1000 completa
  • 10 abrigos para sensores passivos de coleta de MP

Registrado em
Assunto(s):