Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Exceed-Swindon financia a internacionalização na UFSM



Como efeito da globalização, o cenário mundial se tornou mais aberto e a mobilidade acadêmica cresceu e adquiriu mais importância. Alunos e docentes têm a possibilidade de fazer intercâmbio para outros países, onde adquirem e transportam conhecimento, se especializam e voltam para o país de origem com novas perspectivas que podem ser aplicadas em benefício do desenvolvimento nacional. Um dos desafios institucionais da UFSM é a Internacionalização, que no Centro de Tecnologia é viabilizada também por um projeto chamado Exceed-Swindon, coordenado pelo professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, Elvis Carissimi, e financiado pelo governo alemão DAAD (Deutscher Akademischer Austauschdienst).

Intercâmbio de curta duração 

Christopher na UFSM

Esse ano a UFSM recebeu um doutorando de Togo, país localizado na África Ocidental. Houndedjihou Degninou, mais conhecido como Christopher entre os brasileiros, estudou Química na Universidade de Lomé e agora no doutorado teve a oportunidade de fazer um intercâmbio de três meses, financiado pelo Exceed-Swindon. O campo de pesquisa dele é tratamento de esgoto e ele utiliza uma tecnologia que em Togo não é desenvolvida. Então, lá ele foi o primeiro a pesquisar Wetlands Construídos, uma tecnologia de tratamento de esgoto doméstico.

Christopher já fez intercâmbio para a Etiópia e para o Malawi, mas essa foi a primeira vez que saiu do continente africano. Para ele, a experiência na UFSM foi muito importante porque aqui ele conseguiu trabalhar com materiais e equipamentos que não possui em Togo. “É bom pra mim vir aqui e adquirir novos conhecimentos. Agora eu sinto que preciso aprofundar a minha pesquisa novamente quando eu retornar para o meu país. Eu quero transportar essa tecnologia e desenvolver esse campo em Togo”, ele diz.

Fluente em francês e inglês, o doutorando veio ao Brasil sem saber falar português, mas mesmo assim conseguiu se comunicar com muitas pessoas principalmente em inglês. O mestrando em Engenharia Civil, Luis Gustavo Marchioro, quando soube que o CT receberia um intercambista em junho, já se certificou de se propor a auxiliá-lo nesse período aqui e fala sobre a importância dessa experiência para ele também. “Além de trabalhar comigo ele mora comigo, e foi trabalhando com ele que eu tive a oportunidade de praticar o meu inglês. Normalmente nós fazemos cursos, temos aula na escola, mas raramente uma oportunidade de treinar mesmo”, explica.

Pesquisador da UFSM vai a evento na Tailândia

Gustavo apresentando trabalho no evento da Tailândia

Ainda em agosto, o aluno de doutorado do Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil (PPGEC), Gustavo Holz Brächer, foi para a Tailândia apresentar um trabalho no evento “Expert Workshop on Microplastics in the Water Environment”, que aconteceu entre os dias 19 e 21. Gustavo destaca que este e outros eventos Exceed-Swindon são abertos a toda a comunidade acadêmica de pós-graduação, que atua na área ambiental, e, uma vez que o trabalho é selecionado, todas as despesas de estadia, alimentação e transporte aéreo são subsidiados pelo governo alemão.

O trabalho apresentado foi sobre um sistema de tratamento para remoção de microplásticos em águas residuárias via eletrocoagulação-flotação. O sistema foi previamente avaliado pelo seu orientador em 2018, professor Elvis Carissimi, durante seu pós-doutorado nos Estados Unidos, como Visiting Scholar pela Fulbright. Neste ano, foram feitas adaptações e foi desenvolvido no Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental um sistema inovador, que explora a técnica de eletrocoagulação-flotação em fluxo contínuo (possuindo maior aplicabilidade em escala real que sistemas em batelada).

De acordo com o doutorando, após a apresentação do trabalho aconteceu uma série de discussões promovida pelo público de especialistas presentes, das quais pôde extrair contribuições que serão consideradas na realização das próximas etapas da pesquisa.

Gustavo fala da importância que essas mobilidades têm para ele e para a UFSM: “É muito bom poder apresentar um trabalho desenvolvido aqui na Universidade para especialistas de outros países, com visões e experiências diferentes. A transferência de conhecimento possibilita a elevação do nível de pesquisas realizadas na UFSM e em todo o país. Além disso, oportunidades como essa despertam a importância de se comunicar em inglês para poder interagir com outras pessoas a nível internacional”, salienta.

No entanto, esta não é a primeira vez que ele tem a oportunidade de levar a sua pesquisa para fora do país. Gustavo também já fez um intercâmbio de curta duração durante o mestrado, no Instituto Mexicano de Tecnologia da Água, financiado por esse mesmo projeto Exceed-Swindon. Nesse instituto ele teve a oportunidade de trabalhar em um grupo de pesquisa com experiência de mais de 10 anos na área de pesquisa que ainda estava começando a ser explorada no departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental do CT.

Além disso, no dia 05 de setembro ocorreu a chegada de outra intercambista em Santa Maria. A doutoranda da Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM), Mariana Quesadas Rojas, fará intercâmbio de curta-duração no CT/UFSM.

Para saber mais sobre o projeto Exceed-Swindon acesse o site ou entre em contato com o professor Elvis Carissimi através do e-mail: ecarissimi@gmail.com.

Texto por Jéssica Medeiros, acadêmica de Jornalismo – Divulgação Institucional do CT/UFSM.


Quer divulgar seu projeto ou evento no nosso site? Fez uma viagem técnica? Teve seu trabalho premiado? Participa de uma iniciativa bacana? Clique aqui e deixa a tua sugestão de notícia!

Entre em contato pelo e-mail: noticiasct@ufsm.br.

Siga o CT nas redes sociaisFacebookInstagram e Twitter.



Publicações Recentes