Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Em dia de reinauguração de ginásios, CEFD abre oficialmente atividades do programa Segundo Tempo



Após cerca de sete meses de obras, foram reabertos nesta quarta-feira (26) os dois Ginásios Didáticos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Ambos passaram por reformas, receberam rampas e banheiros adaptados para acessibilidade entre outras melhorias na infraestrutura que estão em fase de acabamentos.

Segundo o vice-reitor, Dalvan Reinert, mais de R$ 200 mil foram investidos nas obras, mas ainda seria preciso muito mais para se chegar à estrutura ideal.

— O [recurso] que vem para acessibilidade é muito pouco, mas a Universidade está usando todos os recursos possíveis para quebrar as barreiras existentes — afirmou.

O evento realizado no fim da tarde também marcou o início oficial das atividades dos programas Segundo Tempo Universitário e Segundo Tempo Esportes Adaptados na UFSM, uma das quatro instituições a receber o projeto piloto do Ministério do Esporte. O objetivo é incentivar a prática esportiva entre os estudantes do Ensino Superior oferecendo espaços e equipamentos adequados, bem como orientação para as práticas de forma gratuita. Com nove atividades ofertadas, o Segundo Tempo Universitário já conta com mais de 350 inscritos na Universidade.

O coordenador técnico-administrativo do programa Segundo Tempo Universitário na UFSM, Matheus Francisco Saldanha Filho, destacou que a instituição é a única universidade federal pública que prevê em seu programa de desenvolvimento uma política de esporte e lazer. Para ele, o maior desafio é fazer com que essa política passe a integrar os projetos pedagógicos de todos os cursos da Universidade na forma de atividades complementares como, por exemplo, jogos estudantis.

— Só desta forma, com a comunidade acadêmica se apropriando do projeto, é que o programa será legitimado e assim teremos subsídios para reivindicar novos investimentos — salientou.

Ele explicou ainda que até 2014 o programa será patrocinado pelo Ministério do Esporte. Depois disso são as próprias instituições que deverão mantê-lo.

— E os recursos para isso não poderão sair exclusivamente do orçamento do Centro de Educação Física. Não seria justo, porque são atividades que beneficiam toda a comunidade acadêmica.

 

Conquista

A coordenadora do núcleo de esportes adaptados na UFSM, Luciana Erina Palma, considerou um reconhecimento a inclusão da modalidade no programa Segundo Tempo.

— Depois de tantos anos de trabalho, isso é realmente uma conquista — disse.

Ela ressaltou que o projeto alia habilidades dos cursos de Educação Física e Terapia Ocupacional da UFSM, e extrapola os limites da Universidade porque conta com o apoio da Associação de Cegos de Santa Maria e também envolve ações junto às escolas de educação especial, como a escola Antônio Francisco Lisboa e a Associação Colibri.

— Lá nós trabalhamos com a iniciação esportiva, e aqui com o esporte em si — explicou.

O projeto Segundo Tempo Esportes Adaptados na UFSM contempla as práticas de Golbol, modalidade criada para deficientes visuais, e natação. Mas, o núcleo também desenvolve atividades em outros esportes, como handebol, envolvendo um total de 90 praticantes.

No time de atletas sobre rodas está Denilson Rodrigues, 35 anos. Cadeirante desde 2006, quando sofreu um acidente, o militar do Exército encontrou no esporte a força que faltava para enfrentar a nova realidade.

— O esporte para mim é liberdade. Quando eu estou jogando não me sinto diferente de uma pessoa que anda — diz ele, ressaltando que em algumas modalidades deficientes físicos podem competir em iguais condições com pessoas sem deficiência.

— Quando eu sofri o acidente eu me isolei. Foi o esporte que me fez sair — completa ele.

É por isso que avanços como a implantação de rampas de acesso ao ginásio representam tanto para Denilson e seus colegas.

— Trata-se, principalmente, de uma conquista de autonomia e autoestima — diz Luciana.

 

Funcionário homenageado

O diretor do Centro de Educação Física e Desportos, Marco Aurélio Acosta, aproveitou a oportunidade para homenagear o funcionário recém-aposentado Santos Sales da Silva na data de seu aniversário de 70 anos.

Conhecido como “Toco”, o ex-chefe do departamento de manutenção do CEFD prestou serviços à UFSM por mais de 40 anos. Muito ligado ao curso de Educação Física, ele foi aplaudido de pé pelo público presente na solenidade.

 

 


Publicações Recentes