Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Implantação de internet por meio Redecomep avança em Santa Maria



Está em fase de instalação a rede de fibra ótica que irá conectar o campus sede da UFSM à estrutura de conexão de internet de alta velocidade já existente na região central de Santa Maria, formando a Redecomep. A expectativa é que, em poucos meses, com a ativação da rede, a universidade perceba uma melhoria na velocidade de conexão, bem como na interligação com as unidades instaladas no centro da cidade.

Iniciativa da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o Programa Redecomep – Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa é responsável pela implantação de redes de alta velocidade em regiões metropolitanas e cidades do interior com duas ou mais instituições federais de ensino e pesquisa. O modelo prevê a formação de consórcios entre organizações federais, estaduais e municipais, visando à implantação e manutenção de uma infraestrutura de fibra óptica própria, que viabilize a interconexão entre as diferentes instituições. A UFSM está conveniada à RNP desde 2015 e, no ano passado, tornou-se um Ponto de
Agregação da Redecomep.

Em Santa Maria, a RNP firmou convênio, também, com a Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs), responsável pela instalação de uma parte da rede de fibra ótica. O diretor do Centro de Processamento de Dados (CPD) da UFSM e coordenador do Comitê Técnico da Redecomep Santa Maria, Gustavo Chiapinotto da Silva, explica que, nesta primeira fase de implantação da Redecomep, cabe à Procergs a instalação de cerca de 10 quilômetros de fibra ótica, desde o bairro Nossa Senhora das Dores até o arco de acesso à universidade, via Faixa Velha (RS-509). A previsão é de que esta etapa seja concluída até o final do mês de setembro. Em uma segunda fase, a RNP irá conectar a UFSM ao centro via Faixa Nova (BR-287), formando assim o anel da Redecomep e assegurando a redundância do sistema. Outras etapas também estão previstas, estendendo a rede até outras regiões da cidade, conectando unidades das demais instituições conveniadas.

Para a UFSM, de acordo com Chiapinotto, o primeiro benefício será a melhoria na velocidade de conexão nas unidades universitárias instaladas no Centro de Santa Maria: “Hoje, essas unidades estão conectadas a 100 MB. Com a Redecomep, o link de conexão passaria a ser de 1 Gb/s, o mesmo que já existe no campus”. No campus também há a expectativa de ampliação da velocidade, inicialmente passando de 1Gb/s para 2 Gb/s,
mas com perspectiva futura de chegar a 8 Gb/s. Isso promoveria, conforme explica Chiapinotto, uma melhoria na conexão da universidade, facilitando a realização de pesquisas colaborativas, teleconferências, ensino a distância, entre outras
ações.

Além disso, Chiapinotto acrescenta que, com a Redecomep, a UFSM não demandaria mais a manutenção de contrato com operadoras de internet. “Hoje, a RNP paga uma operadora para entregar o link de conexão para o campus. Com a Redecomep esse link poderia deixar de ser pago e ser investido em melhoria de velocidade”,  explica o diretor do CPD. Ele lembra, ainda, que após o fechamento do anel da rede, o sistema se tornará mais seguro e estável, minimizando os riscos de queda da conexão de internet.

Texto: Assessoria de Comunicação do Gabinete do Reitor


Publicações Recentes