Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Centro de Convenções da UFSM é destaque na capa de revista científica internacional



O Núcleo de Química de Heterociclos (NUQUIMHE), do Departamento de Química da Universidade Federal de Santa Maria, teve um estudo recente publicado em uma das revistas científicas mais importantes da área, a European Journal of Organic Chemistry e, para ilustrar a pesquisa, os cientistas utilizaram como fundo, o palco do Centro de Convenções da UFSM.

A ideia de utilizar o teatro da universidade se deu a partir do viés teatral em que o estudo se apresenta, pois a pesquisa traz o enredo de uma peça intitulada “Distribuição Conformacional”, que tem como protagonistas os rotaxanos (estrutura molecular) e que explica como ocorre o processo químico de organização dessas moléculas. A história passa por diversos atos até chegar a resolução final do processo.

Segundo o professor Marcos A. P. Martins, “É comum os químicos produzirem imagens de moléculas e o grupo optou por divulgar o centro de convenções, uma vez que as moléculas representam atores em um palco protagonizando a obra e, portanto, seria interessante promover algo de dentro da universidade.” O professor falou ainda que publicações em periódicos como este são corriqueiras, contudo “o que não é natural é que uma revista de química tenha na capa um teatro, ainda mais de uma universidade fora do eixo Europa-USA”, destaca.

A pesquisa que começou a partir da dissertação da pesquisadora Tainára Orlando, contou com a colaboração de: Paulo Salbego; Geórgia Zimmer; Anderson Pagliari; Caroline Bender; Leticia Rodrigues; Helio Bonacorso; Nilo Zanatta; José Berná; Marcos Martins. A importância de moléculas entrelaçadas, como os rotaxanos ficou evidenciada pelos estudos dos cientistas James F. Stoddart, Jean-Pierre Sauvage e Bernard L. Feringa, que, em 2016, conquistaram o Prêmio Nobel de Química por dedicarem suas pesquisas ao planejamento, síntese e funcionamento dessas moléculas.

Para os cientistas e estudantes do NUQUIMHE, esse prêmio Nobel de Química de 2016, representou um grande incentivo e valorização desse tema entre a comunidade científica na atualidade, uma vez que o grupo é o único da América Latina com seus estudos voltados à ciência dos Rotaxanos e Máquinas Moleculares. “Em tempos de internacionalização isso é uma forma de projetar a universidade para fora”, ressalta o professor Marcos Martins.

De acordo com o grupo, as máquinas moleculares são estruturas constituídas por moléculas entrelaçadas, que são formadas por dois ou mais componentes moleculares. Os rotaxanos são formados por um componente molecular linear que funciona como um eixo e, encaixado nele, há um outro componente na forma de ciclo que funciona como uma roda. Esses componentes moleculares são entrelaçados através de uma ligação mecânica, que permite o movimento de um elemento em relação ao outro, sem a dissociação dos mesmos. A existência da ligação mecânica é a condição essencial para que a molécula possa se mover rapidamente em relação a outra, caracterizando a chamada máquina molecular.

Fundado em 1990, o NUQUIMHE é composto por cinco professores pesquisadores e aproximadamente 50 estudantes de pós-doutorado, doutorado, mestrado e iniciação científica. Ao longo do tempo o grupo já graduou cerca de 120 alunos entre mestres e doutores e produziu mais de 350 publicações, três Chemical Reviews (revisões sobre a química de heterociclos) e diversos capítulos de livros. Essa publicação faz parte de uma série de publicações, iniciadas em 2012, resultante de trabalhos de teses de doutorado e dissertações de mestrado.

Texto: Pablo Iglesias, acadêmico de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes