Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Agência Nacional do Petróleo concede bolsas a pesquisadores da UFSM



Pesquisadores terão incentivo para estudos nas áreas de petróleo, gás e biocombustíveis

A UFSM é uma das 55 instituições de ensino superior que receberá bolsas de estudo de graduação, mestrado e doutorado destinadas a pesquisadores nas áreas de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. As bolsas serão viabilizadas pelo Programa de Formação de Recursos Humanos da Agência Nacional do Petróleo (ANP), custeadas com recursos da cláusula de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) e contarão com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

O edital de seleção para participação do programa foi lançado em dezembro de 2018 e, após o término do período de inscrições, cumpriu-se o protocolo de análise das propostas enviadas. Em fevereiro deste ano, a ANP divulgou a lista das 55 instituições de ensino superior que foram selecionadas. De acordo com o resultado, a UFSM é uma das instituições que atende às exigências do programa e tem potencial para formar profissionais especializados nos setores de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

A professora Fernanda Castilhos, do Departamento de Engenharia Química na área de Biocombustíveis, explica que a proposta aprovada pela ANP contempla os cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Química, vinculados ao Centro de Tecnologia, bem como o curso superior de Tecnologia em Processos Químicos, do Centro de Ciências Naturais e Exatas.

Fernanda explica que a UFSM ainda aguarda o contato da Finep para realizar o envio dos documentos e a assinatura do contrato. A professora relata que na proposta enviada à ANP foram solicitadas 15 bolsas, que serão distribuídas entre iniciação científica, mestrado, doutorado e professor visitante. Os auxílios serão oferecidos durante cinco anos.

Além das bolsas para pesquisadores, o professor responsável pela coordenação dos projetos recebe incentivo de apoio técnico. O programa também repassa à universidade um valor, denominado taxa de bancada,  destinado à compra de materiais para elaboração e condução dos trabalhos. Em média, os valores das bolsas concedidas pela ANP são 50% mais altos que os valores das bolsas oferecidas pela CAPES/CNPQ.

Após a assinatura do contrato e regularização dos trâmites legais, as bolsas de estudos serão disputadas pelos alunos interessados dos cursos de Engenharia Química e Tecnologia de Processos Químicos.

A UFSM não havia recebido antes bolsas custeadas pela ANP. Fernanda acredita que esse incentivo é muito importante tanto para os cursos envolvidos quanto para a Universidade. “A falta de bolsas é algo que impacta diretamente o trabalho do pesquisador, é muito difícil se dedicar exclusivamente a pesquisa sem o suporte da bolsa. As bolsas conferem estabilidade financeira e garantem que o aluno esteja aqui dentro da universidade  desenvolvendo seu trabalho”, comenta.

Texto e fotos: Bruna Eduarda Meinen Feil, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Edição: Maurício Dias


Publicações Recentes