Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

2º Assimetria – Festival Universitário de Cinema e Audiovisual começou nesta segunda-feira



Foto colorida mostra uma pessoa falando de frente ao público em um auditório. No telão, o nome do festival
Assimetria terá 53 curta-metragens exibidos simultaneamente com a UFSC

Mesmo com a forte chuva que caiu no final da tarde desta segunda-feira (27), o público não deixou de prestigiar a abertura do 2º Assimetria – Festival Universitário de Cinema e Audiovisual, que ocorreu no auditório multimídia do prédio 67, no campus sede da UFSM. Os 53 curta-metragens selecionados serão exibidos simultaneamente com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), co-organizadora do evento, parceira da UFSM nessa proposta.

Ao todo, 19 documentários, 21 ficções e 13 produções experimentais, abrangendo filmes realizados em 13 instituições de ensino superior da região Sul do Brasil, incluindo produções santa-marienses da UFSM e Universidade Franciscana (UFN), e também países vizinhos, como Argentina, Paraguai e Uruguai, concorrem no festival, nas categorias júri popular, melhor filme e melhor direção para documentário, ficção e experimental.

Diferente da edição passada, em que o festival apresentou filmes produzidos somente na região Sul, esse ano o Assimetria abriu suas fronteiras para os países vizinhos, Uruguai, Argentina e Paraguai, a fim de fortalecer o elo do Mercosul e a troca de ideias entre as diferentes produções. “Nessa segunda edição a gente se surpreendeu pela quantidade de vídeos de fora de Santa Maria, provando que o festival pode crescer ainda mais. Mas preferimos fortalecer a questão latino-americana, principalmente do Mercosul, para promover a diversidade cultural, que é rica na nossa região”, ressalta Marcos Borba, da TV Ovo, integrante da organização do evento.

O Assimetria é uma proposta da UFSM em parceria com a UFSC. Em 2019, foi a vez de Florianópolis ser a sede de exibição dos curtas. Entretanto, as sessões ocorrem simultaneamente em Santa Maria até a próxima quarta (29), no auditório do prédio 67. Conforme a jornalista Neli Mombelli, uma das organizadoras do evento, a produção do festival irá transmitir via streaming a premiação dos curtas escolhidos pelo júri técnico e júri popular, que acontece em Santa Catarina na quarta-feira.

Neli falou ainda sobre a proposta de parceria entre a UFSM e a UFSC. “A ideia sempre foi a de um festival que ocorresse todos os anos, mas a cada ano, uma das instituições seria a sede. E essa troca de redes fortalece o festival, pois, por mais que a UFSM ainda esteja na busca da implementação de um curso de graduação em Cinema, os cursos da Comunicação, que têm essa relação com a produção audiovisual, colaboram para que Santa Maria seja um polo de produção referência no estado”, afirma Neli.

Além do festival Assimetria, outros dois eventos da mesma temática aconteceram nesta segunda-feira. Esse ano, a 7ª edição do Fórum Arte, Cinema e Audiovisual abordou a produção de arte, cinema e audiovisual sul-americana. As discussões aconteceram na sala 1203 do prédio 40, do Centro de Artes e Letras (CAL).

Também no CAL teve início a 2ª Mostra Arte, Cinema e Audiovisual, na Sala Cláudio Carriconde. A exposição conta com trabalhos de jovens artistas na linguagem do audiovisual e vai até a próxima sexta-feira (31), com entrada gratuita.

Os eventos são realizados pelo Laboratório de Pesquisa em Arte Contemporânea, Tecnologia e Mídias Digitais (LabArt), TV Ovo, Cineclube da Boca e também pelo curso de Cinema do Departamento de Artes da UFSC, em conjunto com o Cine Paredão, Cineclube Rogério Sganzerla e Cinema Mundo de Santa Catarina.

Texto e foto: Pablo Iglesias, acadêmico de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Edição: Ricardo Bonfanti


Publicações Recentes