Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Centro de Tecnologia da UFSM completa 60 anos



Pavilhão de máquinas operatrizes do CT em 1974

Nesta terça-feira (30), o Centro de Tecnologia (CT) comemora 60 anos de trajetória. Um dos primeiros centros da Universidade Federal de Santa Maria, o CT proporciona à comunidade acadêmica e à sociedade em geral ensino, pesquisa e extensão de forma inovadora e tecnológica.

O CT foi fundado originalmente no Centro Politécnico, no dia 30 de junho de 1960, pela Associação Santamariense Pró-Ensino Superior (Aspes). No mesmo ano, foi criada a Universidade de Santa Maria (USM) e o Instituto Eletrotécnico do Centro Politécnico, como unidade pertencente à estrutura da USM. O Instituto implantou o curso de Engenharia Elétrica e, em seguida, inaugurou o curso de Engenharia Civil. Em 13 de setembro de 1961, passou a chamar-se Faculdade Politécnica. Com a aprovação, em 12 de fevereiro de 1970, do plano de reestruturação da UFSM, a Faculdade Politécnica foi então transformada em Centro de Tecnologia.

Inicialmente o Centro oferecia quatro cursos: Engenharia Elétrica, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Engenharia Química. Hoje o CT oferece 14 cursos de graduação e oito programas de pós-graduação, que abrangem as áreas de Arquitetura, Computação e Engenharia. Ainda conta com o suporte de 13 departamentos, que atendem aos cursos, e diversos grupos de pesquisa e extensão, programas de ensino tutorial (PET), diretórios acadêmicos, equipes de competição e empresas juniores.

Exposição de aeromodelismo em 2004

Alunos têm teoria aliada à prática

As equipes de competição do CT possibilitam a união da teoria e da prática aos seus participantes e ainda representam a UFSM nos eventos de competição. As equipes atuais são a Bombaja, Carancho Aerodesign, Fórmula UFSM, Rocket Lab e Taura Bots, que já trouxeram diversos prêmios para a Universidade.

Assim como as equipes de competição, as empresas juniores aproximam os acadêmicos do mercado de trabalho e estimulam o aprendizado prático do universitário em sua área de atuação. Atualmente, as empresas juniores do CT são a Projep Jr., Automatiza Jr., Motora Jr., Base Jr., Compact Jr., Itep Jr. e Renove Jr.

O Centro está localizada nos prédios 7, 9B, 9D, 9E e anexos A, B e C do campus sede, onde estão distribuídas as coordenações de cursos, departamentos, grupos de pesquisas, laboratórios e outros órgãos auxiliares. Também conta com o prédio da Biblioteca Central (onde está sediado o curso de Arquitetura e Urbanismo, até que o prédio próprio, já em construção, seja finalizado), o prédio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Laboratório de Ciências Espaciais de Santa Maria (Lacesm).

Atualmente, o Centro de Tecnologia comporta 3.485 alunos presenciais com vínculo ativo e 318 servidores docentes e técnico-administrativos. Para dar suporte aos alunos e às atividades desenvolvidas, o CT conta ainda com a Biblioteca Setorial, o Gabinete de Projetos, a Unidade de Apoio Pedagógico, a Unidade de Tecnologia e Informação, os núcleos ligados à Secretaria da Direção e laboratórios e núcleos suplementares.

Participação cada vez maior na sociedade

O suporte de desenvolvimento científico e tecnológico para empresas locais, estaduais e até nacionais contribuíram muito para a execução de projetos e pesquisas no Centro. O atual diretor do CT, professor Tiago Marchesan, enfatiza que a parceria com diversas empresas possibilita crescimento ao Centro de Tecnologia.

“O CT tem um crescimento contínuo graças às pessoas que fizeram e ainda fazem parte de nossa comunidade, à nossa excelência no ensino, aos nossos alunos, cursos de graduação e pós-graduação, que fazem com que o CT contribua para o futuro do nosso país e sociedade, através da pesquisa e na extensão, que apoiamos a inserção da tecnologia em escolas, além de trazer tecnologia às comunidades de baixa renda”, comenta Tiago.

Segundo o diretor, os planos futuros para o Centro de Tecnologia incluem a reformulação contínua dos currículos de graduação para novos desafios de carreiras e a participação cada vez maior do Centro na sociedade, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico do país, através da pesquisa, extensão e inovação.

De geração para geração

A relações públicas do Centro, Ivana Cavalcante, comenta que o CT tem capacidade técnica, criatividade e pessoas comprometidas com os valores e a missão da UFSM para contribuir com o que for preciso na resolução de problemas e inovação. “É muito legal ver que ao longo dos 60 anos já tivemos gerações de uma mesma família (estudou pai/mãe, depois filhos/as e agora estudam os/as netos/as), pessoas que se conheceram estudando ou trabalhando aqui e formaram família. Além dessas relações afetivas que naturalmente acontecem paralelamente à história do Centro, nesses 60 anos muitos projetos já foram desenvolvidos em prol da sociedade, muitos prêmios recebidos em reconhecimento às pesquisas e/ou protótipos desenvolvidos. Mesmo com todas as dificuldades orçamentárias, nossa infraestrutura só vem melhorando, e assim, proporcionamos uma formação profissional relevante e atualizada”, afirma.

As comemorações presenciais dos 60 anos do CT foram adiadas devido à pandemia. Porém, o aniversário do Centro não passará em branco. O Núcleo de Divulgação Institucional, através das redes sociais, vem fazendo publicações comemorativas, como vídeos com depoimentos e fotos antigas, recuperadas pelo projeto “Retalhos da Memórias”, do Departamento de Arquivo Geral (DAG), para relembrar a história do Centro. Confira na página no Facebook.

Em 2020, a UFSM também comemora 60 anos.

Texto: Ana Júlia Müller Fernandes, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias
Edição: Ricardo Bonfanti, jornalista da Agência de Notícias
Fotos: Arquivo/DAG

 


Publicações Recentes