Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM investe em obras voltadas ao empreendedorismo e à inovação



Reconhecida pelo ranking nacional do site Universidades Empreendedoras como a 9ª universidade brasileira com maior índice de empreendedorismo, entre 123 instituições avaliadas, a UFSM segue colhendo os frutos desta conquista de 2019. O Termo de Execução Descentralizada (TED) Inovação no valor de R$ 1 milhão, repassado pelo Ministério da Educação para as universidades mais bem ranqueadas, está sendo aplicado em investimentos relacionados ao empreendedorismo e à inovação na Universidade, o que era uma exigência do repasse.

Do valor total, uma parte foi destinada para reforma da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec), outra para obras na Incubadora Tecnológica de Santa Maria (ITSM) e o restante para a construção de salas inovadoras em seis locais: campus de Cachoeira do Sul, Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH), Centro de Tecnologia (CT), Centro de Educação (CE), ITSM e Pró-Reitoria de Extensão (PRE), em uma sala no prédio da antiga Reitoria, no centro de Santa Maria.

Segundo a pró-reitora substituta de Infraestrutura, Ísis Porto, o investimento que vem sendo aplicado vai servir para disseminar, em diferentes espaços da Instituição, a possibilidade de empreendedorismo. “A gente ainda tem uma visão tradicional de que o cursos do CT e do CCSH têm uma maior propensão a ter as empresas juniores, mas isso está mudando com essas salas multiuso, as quais todos os cursos poderão utilizar, principalmente nas áreas de empreendedorismo social, saúde, entre outras”, ressalta a professora.

Projeto das salas inovadoras: duas deverão ser concluídas em abril

Salas inovadoras serão para todos os cursos

Coordenado por Renata Zampieri, professora de Arquitetura e Urbanismo no campus de Cachoeira do Sul, o projeto de salas inovadoras existe desde 2018, mas só foi possível iniciar a execução e implementação dos espaços com a verba proveniente do TED Inovação. As seis salas inovadoras multiuso estarão todas dentro de um padrão criado pela professora e pelas estudantes Rhaissa Porto e Nadiane Joris. A ideia é justamente ter um espaço que possa ser aproveitado por todos os cursos e que fuja da lógica organizacional da sala de aula tradicional.

As cores, os objetos e os materiais são todos pensados para que haja uma adaptabilidade e que proporcionem condições para ideias inovadoras. Os espaços contarão com mesas para trabalhos em grupo, arquibancadas e telas de televisão. As salas do CCSH, do CT, da PRE e da ITSM ainda estão em fase licitatória, enquanto as de Cachoeira do Sul e do CE devem ficar prontas em abril deste ano.

Projeto da fachada da Incubadora Tecnológica após as obras

Reformas na ITSM e na Agittec contemplam parte interna e fachada

Na Incubadora Tecnológica e na Agittec as obras resultantes do TED Inovação contemplam tanto reformas internas quanto mudanças no exterior das edificações, segundo o arquiteto Alberto Wolle, que coordena os trabalhos que estão sendo realizados nestes espaços. Na Incubadora, onde as obras começaram em janeiro deste ano e devem acabar em julho, haverá a adequação do local à rede de hidrantes e melhorias na acessibilidade. Além disso, a fachada será alterada para que haja um maior conforto térmico.

Alberto também destaca a importância da mudança estética, pois, de acordo com o arquiteto, a edificação está localizada em uma região nobre do campus sede, melhorando também a percepção da imagem geral das empresas instaladas. “Ou seja, neste caso, a arquitetura atua para uma qualificação da propaganda dos empreendimentos”, afirma.

Já na Agittec, onde as obras começaram em novembro de 2020 e devem ser encerradas em maio próximo, haverá uma mudança no espaço administrativo, onde fica o coworking das empresas. No entanto, da mesma forma que a ITSM, a fachada será futuramente alterada. “O projeto original modifica a fachada e a volumetria da edificação, contribuindo, da mesma forma que na obra da ITSM, para uma melhor qualificação estética e, consequente, melhor percepção dos interessados e usuários do campus quanto ao empreendimento ali instalado”, destaca o arquiteto. 

Texto: Juan Grings, acadêmico de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias
Edição: Ricardo Bonfanti, jornalista

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes