Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

CovidPsiq: conheça os resultados finais da pesquisa sobre saúde mental na pandemia



Na tarde da quinta-feira (20), a UFSM realizou a live “Saúde mental: resultados finais da pesquisa CovidPsiq”. O coordenador do projeto Covid Psiq, o médico psiquiatra e professor do Departamento de Neuropsiquiatria da UFSM, Vitor Crestani Calegaro, apresentou os resultados finais da pesquisa sobre os impactos da pandemia na saúde mental do país.

O projeto, denominado oficialmente como “Monitoramento da evolução da sintomatologia pós-traumática, depressão e ansiedade durante a pandemia de COVID-19 em brasileiros”, começou ainda em abril de 2020. O objetivo do projeto foi avaliar o impacto emocional da pandemia, tendo em vista que tanto o contexto pandêmico quanto o isolamento social trazem grandes impactos, como a solidão, os problemas financeiros e sobrecarga de trabalho. Estas situações podem levar a consequências graves na vida das pessoas, como o aumento do consumo de substâncias, a violência doméstica e até a ideação suicida. A pesquisa foi feita em quatro etapas, cada uma com um questionário online e aberto ao público, com foco em diferentes áreas. Cerca de 6100 pessoas, entre estudantes, docentes, profissionais da saúde e população brasileira em geral com mais de 18 anos,  participaram como voluntários.

O projeto é desenvolvido pela Coordenadoria de Ações Educacionais (Caed) da UFSM, e conta com uma equipe de mais de 70 pessoas, entre médicos psiquiatras, psicólogos, professores, residentes e alunos de graduação e pós-graduação, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Franciscana (UFN) e Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Durante a live, o reitor da UFSM, professor Paulo Afonso Burmann, relembrou da importância dessa pesquisa para colocar em prática ações em prol da saúde mental. “Essa parceria vem mostrar para nós, além de um diagnóstico da situação, uma sinalização de possíveis caminhos ou medidas que devemos nós, como gestores e gestoras públicas, adotar, no sentido de mitigar os efeitos de quaisquer alterações que possam ser apresentadas nesse cenário em relação à saúde mental”, afirmou. 

Os resultados

De acordo com os dados expostos durante a transmissão, 75% dos voluntários são mulheres e 25% são homens. Do total, 50,4% têm idades entre 18 e 29 anos. Entre os participantes, 1175 são estudantes da UFSM, 911 estudantes de outras instituições. Dentre o total de estudantes, 61,1% estão em graduação e 38,9 em pós-graduação. Ainda teve a participação de 94 estudantes moradores da residência estudantil da UFSM.

Cerca de 70% dos estudantes concordam, totalmente ou parcialmente, com a afirmação de que sentem que a instituição fornece amparo necessário para os estudos. Cerca de 30% dos estudantes precisam trabalhar fora para manter o seu sustento. A análise estatística da pesquisa mostrou que quanto menor a idade, maior foi o número de participantes com sintomas de depressão, ansiedade, estresse, estresse pós-traumático e alcoolismo e que estudantes apresentaram mais sintomas de estresse pós-traumático e depressão do que a população em geral. Com esses dados é possível perceber que a assistência estudantil e a compreensão oferecidas pela universidade são essenciais para atenuar esses sintomas, mesmo em estudantes que enfrentam jornadas duplas de trabalho e estudo.

O projeto

O projeto Covid Psiq desenvolve, além da pesquisa, atividades de ensino e extensão. Durante o ano foram realizadas lives semanais com convidados, em sua maioria especialistas, levando ao público discussões sobre tópicos relevantes ligados à saúde mental. Em 2020 também foi realizado o primeiro Fórum Latinoamericano de Saúde Mental na Pandemia, que tinha como objetivo compartilhar estudos e criar redes colaborativas de estudos sobre o tema na América Latina. O evento teve a participação de mais de 700 pesquisadores, estudantes e profissionais da saúde. Ainda está em curso atividades de ensino para capacitação de especialistas e profissionais em geral, para lidar com assuntos relacionados à saúde mental, com parceiras que incluem a Prefeitura Municipal de Santa Maria e outras instituições. Em breve, terá início o projeto de extensão “Resilieight”, um programa de reforço da resiliência a fim de promover a saúde mental e prevenir transtornos mentais decorrentes de situações de estresse e trauma, em que o professor Vitor Calegaro faz 8 recomendações para a manutenção da saúde mental e o bem estar no contexto da pandemia de COVID-19.

A gravação da live está disponível no canal do Covid Psiq no Youtube.  No site oficial do projeto é possível encontrar mais informações sobre a pesquisa, lista de integrantes da equipe, vídeos das lives e também orientações para manter a saúde mental. Também é possível encontrar mais conteúdos sobre o projeto na página no Facebook.

Reportagem: Ana Laura Iwai, bolsista da Agência de Notícias da UFSM
Edição: Davi Pereira

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes