Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM Divulga Ciência: evento apresentará o projeto e debaterá a divulgação científica



No Dia Nacional da Ciência do Pesquisador, 8 de julho, a Universidade Federal de Santa Maria deu início ao UFSM Divulga Ciência, projeto estratégico de comunicação que tem como objetivo a popularização da ciência, por meio da divulgação da produção científica da instituição e da ampliação do diálogo entre sociedade e universidade.

Visando ampliar a cultura da divulgação científica, a etapa inicial do projeto foi mapear ações já existentes na UFSM a partir de vídeos, podcasts, perfis nas redes sociais, etc. Para isso, foi criado um formulário online a fim de identificar programas, projetos, pesquisas, grupos, setores e pessoas que visam popularizar a ciência na Universidade. A partir desse mapeamento, a ideia é criar uma rede de divulgação científica, articulando e fortalecendo as iniciativas por meio dos veículos de comunicação institucionais e da imprensa.

A próxima etapa do UFSM Divulga Ciência será no dia 31 de agosto. Em evento online, o projeto será apresentado para a comunidade acadêmica, imprensa e para o público em geral. O encontro terá, ainda, discussões sobre a importância institucional da divulgação científica, estratégias para  produção, divulgação e popularização desse conteúdo nas instituições. Confira os convidados: 

Diego Vaz Bevilaqua, vice-diretor de Patrimônio Cultural e Divulgação Científica da Fiocruz. Possui graduação em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997) e doutorado em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002) e pós-doutorado pela Harvard University (2005). Desde 2008 é Tecnologista do quadro permanente da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Divulgação Científica, atuando principalmente nos seguintes temas: museu de ciência, educação não formal, aplicativos virtuais, interatividade e itinerância. A Fiocruz publicou recentemente sua Política de Divulgação Científica.

Marcelo Pereira, da Diretoria de Divulgação Científica da Pró- Reitoria de Extensão da UFMG. É bacharel em Secretariado Executivo pela Universidade Federal de Viçosa (2006) e mestrando em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência e atua nas áreas de Extensão Universitária e Divulgação Científica. A UFMG possui hoje uma Rede de Divulgação Científica.

O evento será aberto ao público e transmitido pelo YouTube da UFSM a partir das 16h.

 

Resultados do mapeamento

O formulário online contou com 210 respostas de docentes, técnico-administrativos e estudantes. As informações foram classificadas em três categorias: projetos que já fazem Divulgação Científica; potenciais divulgadores (que demonstram interesse, mas ainda não possuem canais oficiais articulados), e especialistas que podem integrar o Banco de Fontes institucional, ou seja, podem ser fontes em reportagens. 

Do total, 75 iniciativas foram classificadas como divulgação científica, presentes nas diversas áreas do conhecimento e utilizando diferentes canais, como redes sociais, sites e veículos de comunicação. Os potenciais divulgadores somam 64, e as fontes especializadas 54. 

A partir das iniciativas mapeadas, o projeto buscará dar início a uma rede integrada de divulgação científica dentro da UFSM. 

 

Conheça algumas das ações de divulgação científica da UFSM que foram mapeadas: 

 Fisioterapia na promoção da saúde: orientações ergonômicas, posturais e relaxantes para estudantes e trabalhadores em home office durante a pandemia de covid-19: É um projeto de extensão do curso de fisioterapia que visa reunir e divulgar orientações e métodos ergonômicos, posturais e de relaxamento que contemplem o corpo, o movimento e as funções diárias, introduzindo vídeos, imagens e cartilhas explicativas para pessoas em regime de home office e/ou estudos domiciliares, com vista a melhorar a qualidade de vida e evitar comorbidades que possam surgir a partir do tempo prolongado em determinadas posições. Os métodos para promover a saúde e evitar o desenvolvimento de alterações corporais, é feito através da divulgação de material educativo para o desenvolvimento de hábitos de vida, autocuidado (relaxamento, fortalecimento e alongamento musculares, mobilizações articulares e outras práticas) que contribuam à qualidade de vida das pessoas, por meio da educação em saúde.

  O projeto atua desde maio de 2020 , é através das redes sociais (Facebook e Instagram) que são feitas as divulgações das ações e informações de saúde, autocuidado e qualidade de vida durante a covid-19.

 

Mais História, por favor!: É o projeto de popularização das pesquisas e atividades desenvolvidas no âmbito do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História (PROFHISTÓRIA). Criado e coordenado pelo Professor João Manuel Casquinha Malaia Santos, o projeto compõe-se de um podcast exibido uma vez por mês pelas Rádio Universidade e UniFM e disponível em diversas plataformas digitais: AnchorFM, Spotfy e GoogleCast. O objetivo é noticiar as produções do mundo acadêmico da História (eventos, chamadas para artigos, lançamentos de livros, palestras), explorando as pesquisas feitas pelos professores  e seus orientandos. O podcast oferece uma grande variedade temática, dada a participação de profissionais  em diferentes níveis de formação e com diferentes investigações realizadas ou em curso. O programa também aborda temas atuais em perspectiva histórica e divulga resultados de pesquisas acadêmicas sobre História e ensino de História ao grande público através do Twitter e do Youtube.  

O projeto possui um site onde hospeda todos seus conteúdos e redes sociais, além de contar com uma grande lista de professores e alunos e historiadores formados pela UFSM.

 

Bicharada Gaúcha:  É o projeto de divulgação científica do campus Palmeira das Missões do curso de Ciências Biológicas, que utiliza das redes sociais (Facebook e Instagram) para transformar o conhecimento científico em informação acessível para a população em geral através de fatos e curiosidades da fauna gaúcha como seu papel ecológico, importância econômica e status de conservação. As postagens iniciaram no começo de outubro de 2020,  em cada semana, as postagens tratam de uma espécie-foco, divulgando informações sobre características da espécie, distribuição, habitat, alimentação e reprodução, além de diversas curiosidades e mitos. Também são feitos jogos de perguntas interativas com os seguidores sobre a espécie tratada na semana. As postagens buscam incentivar a população a observar os organismos que a cercam no dia a dia para também atuarem como difusores de conhecimento científico sobre a fauna do Rio Grande do Sul. 

 

Estação Planetário:  Consiste em um podcast de divulgação científica, coordenado pelos bolsistas do Planetário, sendo apresentado pelo acadêmico Samuel Sievers, onde são convidados nomes da ciência (majoritariamente da área astronômica/espacial), e tem a periodicidade mensal. Lançado em novembro de 2020, atualmente o podcast contém 9 episódios hospedados no Spotify e Youtube. Nas redes sociais (Facebook e Instagram)  do Planetário da UFSM, ocorrem diversas publicações com a temática científica e astronômica com uma linguagem mais clara e objetiva. 

 

Toda Cidade Ensina:  É um  projeto das Ciências Biológicas/Licenciatura que tem como objetivo divulgar e incentivar a visita aos espaços educacionais não escolares da região de Santa Maria. As atividades do projeto iniciaram em 2020 com uma série de vídeos mostrando alguns dos espaços de educação não formal mais interessantes da região, como o Jardim Botânico da UFSM, o Mantenedouro de fauna São Braz e o Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica, o CAPPA UFSM. A série de vídeos possui 6 episódios que apresentam estes locais, que mostram o seu potencial educacional e social, como um convite para que todos os visitem. Outros 3 episódios abordam temas específicos das Ciências da Natureza, são voltados aos estudantes e professores do ensino médio, e intencionam colaborar com o ensino e aprendizagem destes assuntos. Junto com os vídeos, o projeto  oferece um material complementar de auxílio ao professor e ao educador, com explicações e sugestões de atividades e links. Em 2021 e 2022 as ações do Toda Cidade Ensina estão voltadas para a produção de vídeos mais curtos através do TikTok e material mais denso em formato de podcasts. 

Os materiais de divulgação e audiovisual estão disponíveis nas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube ) do projeto.

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-56612

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes