Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Pesquisa da UFSM calcula valor de Cesta Básica e Cesto Integral de Palmeira das Missões

Os dados são disponibilizados mensalmente e abrangem os principais itens de consumo, especialmente os alimentícios



Uma pesquisa realizada por docentes e discentes do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus Palmeira das Missões, calcula o preço da Cesta Básica e do Cesto Integral mensalmente. O projeto teve início em novembro de 2022 com o objetivo de estimar as despesas da população municipal a partir dos principais itens de consumo, especialmente os alimentícios.

O pontapé inicial do estudo foi dado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas, César Augusto Pereira dos Santos. Ao ingressar na UFSM, em março de 2022, ele percebeu que ainda não havia uma pesquisa que contemplasse os preços de produtos básicos da cidade de Palmeira das Missões. Assim, com a parceria de outros docentes, deu início a ação em novembro do último ano. A metodologia consiste na coleta dos preços, realizada em 10 mercados de diferentes bairros do município. Após, os dados são tabulados, ou seja, as informações são organizadas e transformadas em material que possa ser analisado, a fim de facilitar o uso das mesmas. Por fim, é realizado o cálculo da Cesta Básica e do Cesto Integral com base na pesquisa nacional feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (DIEESE), além de comparações dos valores em relação aos meses anteriores.

A pesquisa da Cesta Básica de Palmeira das Missões (CBPM), que se refere aos gastos de uma pessoa, acompanha o comportamento dos preços de 13 itens alimentícios: açúcar, arroz, banana, batata, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão, leite integral, margarina, óleo, pão e tomate. O último relatório, divulgado no mês de janeiro, aponta uma queda de 4,32% no valor em relação a dezembro (Gráfico 1) – o preço foi de R$ 625,39 em dezembro, para R$ 598,38 em janeiro. O percentual se justifica pela baixa no preço dos itens hortifrutigranjeiros que, conforme César, acompanha o aumento da área plantada no Estado e a diminuição de preço dos insumos.

Gráfico 1: Variação no preço da Cesta Básica durante os 3 meses de pesquisa

A pesquisa também abrange o Cesto Integral de Palmeira das Missões (CIPM) que leva em conta os gastos de uma família de 4 pessoas (pai, mãe e duas crianças). Além de outros alimentos, ele também inclui produtos de higiene e limpeza, além de gastos com energia elétrica, água encanada e gás de cozinha. Ao todo, são 56 itens calculados, com base na pesquisa do DIEESE. A média da água encanada e da energia elétrica, por exemplo, é feita a partir de 19 metros cúbicos e 146 quilowatt-hora (KWh) respectivamente. Já em relação ao gás de cozinha, são coletados os preços do botijão de 13 quilos em mercados do município e através do aplicativo Nota Fiscal Gaúcha. Os primeiros resultados da pesquisa apontam que o Cesto Integral equivale a cerca de 1,7 salários mínimos. Assim como a Cesta Básica, o preço também diminuiu nos últimos meses: o preço do Cesto Integral foi de R$ 2112,97 em novembro, R$ 2107,08 em dezembro e R$ 2094,54 em janeiro deste ano – o que representou uma diminuição de 0,60% em relação ao mês anterior (Gráfico 2).

Gráfico 2: Variação no preço do Cesto Integral durante os 3 meses de pesquisa

O professor César destaca alguns dados que chamam atenção nesses primeiros três meses de pesquisa em Palmeira das Missões. Além da queda no valor da Cesta Básica e do Cesto Integral, nota-se uma diferença no preço dos itens se comparados em diferentes bairros do município. O mesmo pode ser observado na comparação entre os supermercados. “Às vezes tem diferença de 20% a 30% na mesma mercadoria em diferentes locais. O pão francês, por exemplo, chegou a custar R$ 5,60 em determinado mercado e em outros chegou a R$13,00”, observa César. Outro destaque é o impacto da carne bovina na Cesta Básica e no Cesto Integral e a diferença em relação a carne de frango e suína. Os dados do Cesto Integral, divulgados em janeiro, apontam que uma família de 4 pessoas precisaria desembolsar em média R$ 388,57 para os custos da carne bovina no mês. Já esse mesmo cálculo aponta R$ 50,44 para a carne suína e R$ 99,80 para a carne de frango, como pode ser observado no Gráfico 3:

Gráfico 3: Comparação do valor da carne bovina em relação a carne de frango e a carne suína em janeiro de 2023

César destaca a importância da pesquisa não só para o município de Palmeira das Missões, mas para o entendimento de um cenário econômico mais amplo. “A população precisa saber quanto gasta e a variação dos custos mês a mês. Acompanhar esses números também é interessante para entender como a cesta básica impacta em termos de salário mínimo”, afirma o coordenador do projeto. O último relatório sobre a cesta básica do município aponta que a média do valor gasto com itens alimentícios equivale a 45,96% do salário mínimo em 2023. 

Atualmente, os dados são disponibilizados, e atualizados mensalmente, no site do curso de graduação em Ciências Econômicas da UFSM, campus Palmeira das Missões. Além disso, os resultados da pesquisa são disponibilizados no Jornal Tribuna.

Próximos passos da pesquisa 

A pesquisa da cesta básica realizada em Palmeira das Missões é pioneira na UFSM. O próximo passo é expandir a análise para os outros campi da instituição a partir do trabalho desenvolvido atualmente. Outro objetivo é incluir um número maior de alunos e abranger mais municípios da região. “Queremos um grupo grande de alunos trabalhando com a pesquisa e conseguir recursos para calcular o preço da Cesta Básica e do Cesto Integral de outras cidades da região”, destaca César. O coordenador ainda afirma que colocar à disposição da população esse tipo de estudo pode, também, futuramente, auxiliar na negociação de pautas salariais com base no custo de vida de cada cidade.

Para César, esse trabalho também é importante para a formação dos alunos pois possibilita o contato com a prática ao aprender sobre a metodologia da pesquisa e o impacto dos números para as famílias do município. Atualmente, o discente de Economia Douglas Abtibol colabora com a iniciativa, juntamente com os outros professores, na fase de coleta, tabulação dos dados e cálculo da Cesta Básica e do Cesto Integral. “A pesquisa tem possibilitado aliar a teoria trabalhada em aula, em disciplinas como Introdução à Economia e Microeconomia, com os resultados práticos em termos de mudanças nos preços dos produtos”, destaca Douglas.

A partir dos próximos resultados, a ideia é disponibilizar as variações trimestrais, mensais e anuais a fim de auxiliar na visualização dos dados apresentados. Além disso, com o andamento da pesquisa, César revela que o objetivo também é fazer parcerias com outros cursos da instituição para avaliar os dados de forma multidisciplinar e expor informações ainda mais completas para a comunidade.

Texto: Thais Immig, estudante de jornalismo e voluntária da Agência de Notícias
Gráficos: Estevan Garcia Poll, programador visual da Unidade de Comunicação Integrada
Edição: Mariana Henriques, jornalista da Agência de Notícias

 

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-60996

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes