Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Grupo de Pesquisa Cuidado à Saúde das Pessoas, Famílias e Sociedade

GRUPO DE PESQUISA CUIDADO À SAÚDE DAS PESSOAS, FAMÍLIAS E SOCIEDADE (GP-PEFAS)

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5073933747052982 Pesquisa Em Atividade

Contato:

gppefas@ufsm.br (55) 3220 8938 Prédio:26 Sala:1336 – CCS

Linhas de Pesquisa

A linha de pesquisa “Cuidado às pessoas vivendo com HIV e suas famílias” engloba estudos, vinculados Programa aids, educação e cidadania, que buscam descrever a situação clínico-epidemiológica das pessoas que tem HIV; e compreender as vivências e as demandas de cuidado das pessoas, famílias e sociedade, no contexto da aids, no seguimento ambulatorial de serviço especializado e na comunidade.

Programa aids, educação e cidadania (PAIDS) teve início em 1998 com a desefa de dissertação da Profª Stela Maris de Mello Padoin, e representou uma estratégia de resposta às mudanças quantiqualitativas da epidemia, agregando: a formação de estudantes; a qualificação de docentes e de profissionais; a atenção à saíde das pessoas com HIV; e a investigação. O PAIDS se insere na área do conhecimento das ciências da saúde, nas áreas temáticas da saúde e educação; e na linha de extensão saúde humana. Está estruturado em um conjunto articulado de projetos de ensino, pesquisa e extensão. Suas atividades são operacionalizadas na promoção da saúde e assistência à saúde de pessoas em diferentes fases do desenvolvimento humano. No ensino, se insere em disciplinas teórico-práticas do curso de graduação em Enfermagem, especificamente na saúde da mulher, criança e adolescente. Na assistência, desenvolve atividades de educação em saúde preventiva na comunidade e grupos de apoio no serviço de referência. Na pesquisa, investe em estudos clínicoepidemiológicos e sócioculturais com a população-alvo de pessoas vulneráveis à infecção e aqueles que têm HIV. Tem como principal cenário dessas ações o Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Foram as necessidades desse serviço que desencadearam a elaboração dos projetos.

Padoin SMM, Paula CC. Programa aids, educação e cidadania: perspectivas para a segunda década de extensão. Saúde (Santa Maria) 2012; 38(1):69-78.

A linha de pesquisa “Práticas de segurança alimentar e nutricional” envolve estudosacerca da segurança alimentar e nutricional (SAN) em diferentes fases do desenvolvimento humano com vistas a promoção de práticas alimentares seguras e adequadas, como um direito. Promoção de crescimento e desenvolvimento, inclusive amadurecimento das funções corpóreas, bem como prevenção de distúrbios nutricionais.

O Núcleo de pesquisa em aleitamento materno (NUPAM), teve início em 2006, com a defesa da tese da doutora Stela Maris de Mello Padoin. Sabendo da importância do Aleitamento Materno na saúde Materno-infantil, sustentada nas recomendações da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde do Brasil, produções acadêmicas e científicas foram desenvolvidos acerca da temática. Busca compreender as demandas de cuidado da mulher e da criança diante de situações cotidianas com enfoque na temática de aleitamento materno e doação de leite humano.

 

Os projetos da linha de pesquisa “Práticas de segurança alimentar e nutricional” estão organizados com estrutura matricial:

PP: Segurança alimentar para crianças verticalmente expostas ao HIV: intervenção educativa [SANHIV]

PP: Aleitamento materno exclusivo: determinantes socioculturais no Brasil [LAC]

PP: Tecnologia educativa para aprendizagem da fisiologia da lactação: tradução do conhecimento [FISIOLAC]

PP: Estratégias para implantação de um banco de leite humano [BLH]

PP: Práticas de cuidado no aleitamento materno [PCAM]

Descrição: Enquanto o aleitamento materno traz a temeridade de transmitir o HIV, não amamentar pode ocasionar riscos significativos para a saúde da criança, como o aumento do risco de morbidade e mortalidade infantil, incluindo a subnutrição. As famílias vivendo com HIV deve ser foco das ações educativas, de maneira a proporcionar-lhes conhecimento e habilidades no cuidado realizado no ambiente domiciliar e minimizando suas vulnerabilidades, uma vez que os pais são corresponsáveis pela saúde de seus filhos. Este projeto de pesquisa se compromete em desenvolver uma tecnologia educativa para promoção de práticas alimentares, visando à melhoria do conhecimento e atitude de profissionais de saúde e cuidadores familiares de crianças verticalmente expostas ao HIV. A estratégia de caráter socioeducativo se dará por meio da construção e validação de cartilha de Educação Alimentar e Nutricional (EAN), voltada para alimentação segura e adequada para lactentes não amamentados. Objetivo: Avaliar os efeitos de uma intervenção educativa para a melhoria do conhecimento, atitude e práticas de profissionais de saúde e cuidadores familiares para alimentação de crianças verticalmente expostas ao HIV. Método: abordagem quantitativa, com delineamento quase experimental, sustentado no modelo teórico da Knowledge Translation. A população do estudo contempla cuidadores familiares de crianças nascidas expostas ao HIV e os profissionais de saúde da atenção primária à saúde e do serviço especializado. A coleta dos dados consiste em três etapas: bibliográfica, metodológica e de campo. Na etapa bibliográfica serão desenvolvidos estudos de revisão sistemática para a elaboração do conteúdo da tecnologia educativa. Na etapa metodológica, esta tecnologia educativa será construída e validada em conteúdo, aparência e aplicabilidade com expertises e população alvo. Na etapa de campo, será um estudo do tipo antes e depois. Após a intervenção, a efetividade das orientações será acompanhada por meio de questionários aplicados pelo telefone.

CAAE: 77608017.5.0000.5346 parecer: 2.325.793

Período: 2017-2021

Pesquisador responsável:  Dra Cristiane Cardoso de Paula

Integrantes:

  • Stela Maris de Mello Padoin (sub-coordenadora)
  • Vanessa Ramos Kirsten (colaboradora)
  • Carmem Lucia Oliveira da Silva (colaboradora)
  • Alexandre Vargas Schwarzbold (colaborador)
  • Maria Clara da Silva Valadão (colaborador)
  • Paulo Sergio Ceretta (colaborador)
  • Glória Isabel Marín Torres (colaboradora)
  • Yolanda Elizabeth Rodríguez Núñez (colaboradora)
  • Tamiris Ferreira (ME 2016-2017)
  • Clécia Sampaio (ME 2017-2018)
  • Marília Alessandra Bick (ESP 2017-2018)

Financiador(es):

  • Edital Universal (2016-2018) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq): Número do Processo: 408710/2016-0
  • Chamada SAN UNASUL Fase II (2017-2019) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq): Número do Processo: 443295/2016-6
  • Chamada PPSUS (2017-2019) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande Do Sul (FAPERGS): Número do Processo: EFP_00013870.

Premiação:

  • 1º lugar no “Concurso de pesquisas científicas e projetos de inovação: Multiplicando experiências e estratégias sustentáveis de alimentação e nutrição do Brasil”, promovido pelo Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas.

Produções científicas:

Descrição: Projeto multicêntrico da RedEnsi-Brasil, coordenado pela EEAN/UFRJ

Objetivos: avaliar os fatores sócio-demográficos, reprodutivos e psicológicos associados com a intenção de mães em alimentar o recém-nascido ao seio materno no Brasil; Descrever os determinantes sócio-demográficos, reprodutivos e psicológicos associados com o início e manutenção do aleitamento materno exclusivo após o parto; Explorar as barreiras percebidas pelas mães brasileiras que influenciam o aleitamento materno exclusivo; Descrever a percepção dos profissionais de saúde em relação aos fatores que influenciam o aleitamento materno exclusivo no Brasil.Traduzir, adaptar culturalmente e validar os instrumentos para português do Brasil.

Método: Estudo prospectivo, longitudinal, utilizando abordagens: quantitativa e qualitativa, O estudo será realizado em unidades de Estratégia de Saúde da Família ou Unidade Básica de Saúde em municípios de estados brasileiros de diferentes regiões: Região Sudeste: Rio de Janeiro e as cidades de Niterói, Macaé e Rio das Ostras; Região Norte: Rondônia; Região Nordeste: Feira de Santana na Bahia; Região Sul: Paraná (Cascavel, Londrina e Maringá) e Rio Grande do Sul (Santa Maria). População de gestantes de baixo risco que realizam a consulta de pré-natal. O tamanho amostral será de no mínimo 150 gestantes, conforme o estudo original, em cada unidade. As gestantes serão captadas com ± 30 semanas de idade gestacional e serão acompanhadas ate seis meses após o parto. O tamanho amostral estabelecido para os profissionais de saúde que atuam na unidade de APS será de no mínimo 20, conforme o estudo original. O estudo será desenvolvido em 3 etapas: 1ª) tradução, adaptação cultural e validação dos instrumentos de pesquisa para o português do Brasil. 2ª) etapa de campo com usuárias. 3ª) etapa de campo com profissionais.

Período: 2017-2021

Pesquisador responsável na UFRJ: Dra Marialda Moreira Christoffel

Pesquisador responsável na UFSM: Dra Cristiane Cardoso de Paula

Integrantes:

  • Stela Maris de Mello Padoin
  • Daiani Oliveira Cherubim
  • Polyana Ribeiro

PP: Tecnologia educativa para aprendizagem da fisiologia da lactação: tradução do conhecimento

Descrição: As tecnologias educativas são uma proposta pedagógica inovadora para o processo de ensino-aprendizagem. A utilização da linguagem musical facilita a compreensão dos saberes tornando o educando como figura ativa no processo de construção do conhecimento. O aleitamento materno é uma prática que oferece inúmeros benefícios para a saúde materno-infantil. Entretanto, necessita de total apoio do meio social em que a mulher esta inserida para que ela obtenha sucesso em amamentar. Entender o processo de fisiologia da lactação e importante para que o futuro profissional possa agir de maneira efetiva quando as intercorrências surgirem no seu cotidiano. Dessa forma, tem-se como objetivo geral: propor uma tecnologia educativa para docentes utilizarem nas aulas de graduação acerca da fisiologia do aleitamento materno. E como objetivos específicos: criar uma composição (letra e melodia) acerca do conteúdo da fisiologia do AM. Método: estudo metodológico, de abordagem quantitativa, conduzido a partir dos movimentos cíclicos do referencial teórico da Tradução do Conhecimento.

CAAE: 68314617.6.0000.5346  Parecer: 2.167.043

Período: 2016-2020

Pesquisador responsável: Dra Cristiane Cardoso de Paula

Integrantes:

  • Stela Maris de Mello Padoin (colaboradora em AM)
  • Ivone Evangelista Cabral (colaboradora em KT)
  • Elisabeta Albertina Nietsche (colaboradora em tecnologia educativa)
  • Elizabeth Teixeira (colaboradora em validação de tecnologia)
  • Jeancarlo Paulo Leismann (curso de música UFSM)
  • Daiani Oliveira Cherubim (ME 2016-2017)

Financiador(es):

  • Bolsa de Mestrado:
  • Demanda Social – CAPES (2017)

 

Descrição: O aleitamento materno proporciona um alimento completo para a criança, protegendo contra doenças infecciosas, sendo um importante fator na redução da mortalidade infantil, além de grande aliado no que se refere ao crescimento e desenvolvimento infantil. Para os prematuros, proporciona benefícios nutricionais, imunológicos e psicológicos, além reduzir o tempo de internação hospitalar. Os Bancos de Leite Humano (BLH) integram as estratégias da política pública em favor da promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Objetivam, também, a oferta do leite humano como primeira opção de alimento para os recém-nascidos de risco e/ou bebês doentes. No Rio Grande do Sul, existem somente dez BLH. Há uma necessidade de ampliação dos BLH, especialmente nas regiões com maior número de leitos de unidade de terapia intensiva neonatal. Objetivos: 1) conhecer a posição dos profissionais de saúde e gestores da área materno-infantil quanto a implantação de um BLH em um Hospital Universitário; 2) discutir as estratégias para sua implantação; 3) construção e validação de ferramenta de avaliação da autoeficácia em amamentação às potenciais doadoras de leite humano. Método: estudo misto.

CAAE: 52259215.3.0000.5346 Parecer: 1.387.356

Período: 2015-2019

Pesquisador responsável: Dra Cristiane Cardoso de Paula

Integrantes:

  • Stela Maris de Mello Padoin
  • Valdecyr Herdy Alves
  • Flavia Pinhão Nunes de Souza Rechia
  • Daiani Oliveira Cherubim
  • Polyana Ribeiro

Financiador(es):

  • Bolsa de Mestrado:
  • Demanda Social – CAPES (2017)
  • Bolsa de Pós-doutorado:
  • Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CNPq (2014)

Produções acadêmicas:

  • Flavia Pinhão Nunes de Souza Rechia. Estratégias para implantação de um banco de leite humano: posição dos profissionais e gestores. 2017. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Cristiane Cardoso de Paula. Co-orientador: Stela Maris de Mello Padoin.
  • Valdecyr Herdy Alves. Amamentação: a percepção valorativa das mulheres-nutrizes em fase de puerpério. 2014. Relatório de Pós-Doutorado (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem) – Universidade Federal de Santa Maria. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Supervisor: Stela Maris de Mello Padoin.

Produções científicas:

 


PP: Práticas de cuidado no aleitamento materno [PCAM]


Descrição: Considerando que a relação mãe-filho, muitas vezes prejudicada devido à internação na UTIN, pode ser restabelecida por meio da manutenção da lactação, além de ser garantida uma alimentação adequada ao recém-nascido prematuro. Objetivos: 1) compreender o cotidiano das mães de recém-nascidos prematuros internados na UTIN em manutenção da lactação diante da (im)possibilidade de amamentar; 2) compreender o significado do cuidado de enfermagem às mães em manutenção da lactação que têm o recém-nascido internado em UTIN; 3) avaliar a autoeficácia em amamentação de puérperas internadas em alojamento conjunto.

CAAE: 0294.0.243.000-10 Parecer: 23081.016681 /2010-51

CAAE: 0323.0.243.000-11 Parecer: 23081.015122 /2011-12

CAAE: 12495013.9.0000.5346 Parecer: 205.844

Período: 2010-2014

Pesquisador responsável: Dra Stela Maris de Mello Padoin

Integrantes:

  • Cristiane Cardoso de Paula
  • Ivis Emilia de Oliveira Souza
  • Caroline Sissy Tronco (ME 2010-2011)
  • Andressa Peripolli Rodrigues (ME2011-2012)
  • Tatiane Correa Trojahn (ME 2012-2013)
  • Larissa Borges da Silva (TCC 2014)
  • Ione Maria Correa Marques (TCC 2012)
  • Juliane Dias Aldrighi (TCC 2012)
  • Elaine Lutz Martins (TCC 2011)
  • Andressa Peripolli Rodrigues (TCC 2010)

Financiador(es):

  • Bolsa de Mestrado:
  • Demanda Social – CAPES (2012)
  • REUNI (2010, 2011)

Produções acadêmicas:

Produções científicas:

 

A linha de pesquisa “Cuidado à mulher em situação de violência” engloba estudos que buscam compreender as demandas de cuidado da mulher diante de situações vividas em seu cotidiano com enfoque na temática da violência.

Os projetos da linha de pesquisa “Políticas e práticas de cuidado na saúde da mulher: vivências em violência” estão organizados com estrutura matricial:

Autonomia do processo de parto e nascimento [APPN]

PP: Autonomia do processo de parto e nascimento [APPN]

Descrição: Considerando que o parto como um evento fisiológico da vida sexual e reprodutiva da mulher, que deve ser acompanhado e assistido de maneira que a mesma o vivencie de forma ativa, exercendo o papel de protagonista do processo, aponta-se a necessidade de aprofundamento das investigações acerca da autonomia da mulher no cenário do parto. Assim, compos-se a questão fenomenológica: Como se dá, para na perspectiva dos atores sociais envolvidos (profissionais de saúde envolvidos na assistência às mulheres em processo de parto e nascimento; acompanhantes e as próprias mulheres), o exercício da autonomia das mulheres no processo de parto e nascimento?

Tomam-se como objetivos: descrever as ações promotoras do exercício da autonomia no processo de parto e nascimento; apreender os motivos para das ações realizadas durante este processo; apreender os motivos porque destas ações; e apreender o típico da ação dos atores sociais. Trata-se de uma investigação qualitativa, fundamentada na fenomenologia social de Alfred Schütz.

Pesquisador responsável: Dra Stela Maris de Mello Padoin

Integrantes:

Thamiza Laureany da Rosa dos Reis (ME 2015-2016)

Iris Elizabete Messa Gomes (ME 2016-2017)

Fernanda Honnef (ME 2017-2018)

Financiador(es):

Bolsa Demanda Social – CAPES 2016

Produções acadêmicas:

Thamiza Laureany da Rosa dos Reis. Autonomia feminina no processo de parto e nascimento: um estudo fenomenológico na perspectiva dos profissionais. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Produções científicas:

Reis TLR, Padoin SMM, Toebe TFP, Paula CC, Quadros JS. Autonomia feminina no processo de parto e nascimento: revisão integrativa da literatura. Rev Gaúcha Enferm. 2017 mar;38(1):e64677.

Rodrigues DP, Alves VH, Penna LHG, Branco MBLR, Souza RMP, Padoin SMM. A violência na assistência obstétrica no processo parturitivo: um estudo descritivo-exploratório – nota prévia. Online Brazilian Journal of Nursing 2014;13(suppl I):399-401.

Atenção em rede às mulheres em situação de violência [REDVI]

Descrição: As situações de violência contra as mulheres constituem um meio de violação dos direitos humanos, impactando-as no que tange aos direitos à vida, à saúde e à integridade física e mental. Trata-se de uma problemática transversal, atingindo mulheres de diferentes credos, estado civil, níveis de escolaridade e nações que se encontram em processos distintos de desenvolvimento socioeconômico. Suas consequências acometem a saúde física, mental, sexual e reprodutiva, portanto, a qualidade de vida e bem-estar das mulheres que a vivenciam. Diante destes aspectos, a prevenção e o enfrentamento da violência contra às mulheres requer articulação multiprofissional e intersetorial, uma vez que apresentam demandas que ultrapassam a capacidade de resolução de um único setor. Nessa direção, a problemática de investigação se trata da inexistência da rede de atenção às mulheres em situação de violência no município de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. Objetivos: 1) construir coletivamente instrumentos para viabilizar a integração entre profissionais de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência para a construção da rede de atendimento; 2) conhecer as concepções e ações de profissionais para a atenção em rede às mulheres em situação de violência; 3) Analisar a trajetória percorrida por mulheres no enfrentamento das situações de violência de gênero neste município, na perspectiva de mulheres e profissionais. Estudo de abordagem qualitativa, desenvolvido a partir de três fases: 1) pesquisa convergente assistencial; 2) pesquisa exploratório-descritiva; 3) método criativo-sensível.

CAAE: 40350315.1.0000.5346 Parecer: 935.978

Período: 2015-2019

Pesquisador responsável: Dra Stela Maris de Mello Padoin

Integrantes:

  • Maria Celeste Landerdahl (colaboradora)
  • Ethel Bastos da Silva (colaboradora)
  • Jaqueline Arboit (DO 2016-2019)
  • Laura Ferreira Cortes (DO 2014-2017)
  • Jaqueline Arboit (ME 2014-2015)

Financiador(es):

  • Bolsas de Mestrado:
  • Demanda Social – CAPES (2015)
  • Bolsas de Doutorado:
  • Demanda Social – CAPES (2014, 2015, 2016, 2017)

Produções acadêmicas:

Jaqueline Arboit. Avaliação da atenção primária à saúde das crianças e dos adolescentes vivendo com HIV/AIDS de Santa Maria/RS/Brasil. 2014. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Laura Ferreira Cortes. Mulheres em situação de violência: construção coletiva de instrumentos para articulação do atendimento em rede. 2017. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Doutorado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Produções científicas:

Arboit J, Padoin SMM, Vieira LB, Paula CC, Costa MC, Cortes LF. Atenção à saúde de mulheres em situação de violência: desarticulação dos profissionais em rede. Revista da Escola de Enfermagem da USP 2017; 51:e03207.

Cortes LF, Padoin SMM,  Arboit J. Rede de atendimento às mulheres em situação de violência: convergência da prática com a pesquisa In: Trentini M, Paim L, Silva DGV (Org). A convergência de concepções teóricas e práticas de saúde: uma reconquista da Pesquisa Convergente Assistencial – PCA. Porto Alegre/RS: Moriá, 2016. p.201-27.

Violência e suas implicações na vida e saúde das pessoas, famílias e sociedade [VIO]

Descrição: A violência contra as mulheres configura-se uma das principais formas de violação aos direitos humanos, atingindo as mulheres em seu direito à vida, saúde e integridade física. Objetivos: apreender os motivos para da mulher que realiza a ação de denunciar o seu vivido em situação de violência; apreender as motivações da ação da enfermeira ao cuidar dessas mulheres. Pesquisa qualitativa com a abordagem da fenomenologia sociológica de Alfred Schutz.

CAAE: 0283.0.243.000-09 parecer: 23081.015518/2009-66

CAAE: 12224212.2.0000.5346 parecer: 183.567

Período: 2008-2013

Pesquisador responsável: Dra Stela Maris de Mello Padoin

Integrantes:

  • Maria Celeste Landerdahl (colaboradora)
  • Ruth Irmgard Bärtschi Gabatz (ME 2007-2008)
  • Letícia Vieira Becker (ME 2009-2010)
  • Laura Ferreira Cortes (ME 2012-2013)
  • Ethel Bastos da Silva (DO 2011-2013)

Financiador(es):

  • Bolsas de Mestrado:
  • Demanda Social – CAPES (2009, 2010, 2013)

Produções acadêmicas:

Ruth Irmgard Bärtschi Gabatz. Violência intrafamiliar: percepções de crianças escolares que vivem em abrigo. 2008. Dissertação (Mestrado em CURSO DE MESTRADO) – Universidade Federal de Santa Maria, . Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Letícia Vieira Becker. Perspectivas de mulheres que denunciam o vivido da violência: cuidado de enfermagem à luz de Schutz. 2011. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Ethel Bastos da Silva. Mulheres em situação de violência: ressignificando as práticas dos profissionais na Estratégia Saúde da Família. 2013. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Lucila Amaral Carneiro Vianna. Co-orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

uidade de gênero. Revista Gaúcha de Enfermagem 2016;36(esp):77-84.

Cortes LF, Padoin SMM. Intencionalidade da ação de cuidar de mulheres em situação de violência: contribuições para a Enfermagem e Saúde. Escola Anna Nery revista de enfermagem 2016;20(4):e20160083.

Cortes LF, Arboit J, Padoin SMM, Paula CC. Evidências acerca da atenção à saúde das mulheres em situação de violência. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste 2015;16(6):1006-15.

Rocha BD, Landerdahl MC, Cortes LF, Vieira LB, Padoin SMM. Violência contra as mulheres: percepção dos estudantes de enfermagem a respeito do enfoque na formação. Investigación Y Educacion en Enfermaria 2015;33(2):260-8.

Arboit J, Costa MC, Padoin SMM, Colomé ICS, Soares JS, Hirt MC. Violência doméstica contra mulheres rurais: interfaces de gênero na concepção de Agentes Comunitários de Saúde. Ciência, Cuidado e Saúde 2015;14(2):1067-74.

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violência contra a mulher e a prática assistencial na percepção dos profissionais de saúde. Texto & Contexto Enfermagem 2015;24(1):229-37.

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Women in situations of violence: limits of assistance. Ciência e Saúde Coletiva 2015;20(1):249-58.

Vieira LB, Cortes LF, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC; Terra MG. Abuso de álcool e drogas e violência contra as mulheres: denúncias de vividos. Revista Brasileira de Enfermagem 2014;67(3):366-72.

Vieira LB, Padoin SMM, Souza ÍEO, Paula CC, Terra MG. Necessidades assistenciais de mulheres que denunciam na delegacia de polícia a vivência da violência. Aquichan (Bogotá) 2013;13(2):197-25.

Cortes LF, Padoin SMM, Paula CC; Vieira LB, Landerdahl MC, Silva EB. Limitations and possibilities on health assessment to women in violence situation. Health (Irvine. Print) 2013;5(7):45-51.

Cortes LF, Padoin SMM, Vianna LAC. Oficinas pedagógicas com profissionais das Equipes de Saúde da Família (EqSF): (re)significando a prática assistencial às mulheres em situação de violência. Boletim do Instituto de Saúde 2013;14(3):259-65.

Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violência contra a mulher: limites e potencialidades da prática assistencial. Acta Paulista de Enfermagem 2013;26(6):608-13.

Dahmer TS, Gabatz RIB, Vieira LB, Padoin SMM. Violência no contexto das relações familiares: implicações na saúde e vida das mulheres. Ciência, Cuidado e Saúde 2012;11(3):497-505.

Vieira LB, Padoin SMM, SOUZA, Souza IEO, Paula CC. Intencionalidade de mulheres que decidem denunciar situações de violência. Acta Paulista de Enfermagem 2012;25(3):423-9.

Vieira LB, Padoin SMM, Landerdahl MC, Paula CC. Modelo de atenção à saúde das mulheres em situação de violência: revisão integrativa. Journal of Nursing and Health 2011;1(2):359-72.

Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC. Perspectivas para o cuidado de enfermagem às mulheres que denunciam a violência vivida. Escola Anna Nery revista de enfermagem 2011;15(4):677-84.

Vieira LB, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO. Típico da ação das mulheres que denunciam o vivido da violência: contribuições para a enfermagem. Revista Enfermagem UERJ 2011;19(3):110-4.

Vieira LB, Padoin SMM, Paula CC. Cotidiano e implicações da violência contra as mulheres: revisão narrativa da produção científica de enfermagem. Brasil, 1994-2008. Ciência, Cuidado e Saúde 2010;9(2):383-9.

Vieira LB, Padoin SMM, Landerdahl MC. Identificação e encaminhamentos dispensados por profissionais de uma equipe de saúde de um hospital de ensino às mulheres em situação de violência. Revista de enfermagem UFPE 2010;4(2):722-29.

Vieira LB, Padoin SMM, Paula CC. Mulheres que denunciam o vivido da violência: perspectivas para a enfermagem a partir da fenomenologia social – nota prévia. Revista de Enfermagem UFPE 2010;4(2):486-9.

Vieira LB, Padoin SMM, Landerdahl MC. A percepção de profissionais da saúde de um hospital sobre a violência contra as mulheres. Revista Gaúcha de Enfermagem 2009;30(4):609-16.

 

A linha de pesquisa “Fenomenologia como possibilidade teórico e/ou metodológica” contempla produções do GP-PEFAS que oferecem subsídios teórico-filosóficos-metodológicos para a construção do conhecimento de Enfermagem, seja por meio de reflexões ou relatos de experiência. seja por estudos primários que aplicaram referenciais da fenomenologia ou secundários que sistematizam o conhecimento publicado.

Núcleo de Estudos de Fenomenologia em Enfermagem (neFEnf) teve início em 2006 com a defesa de tese da Profª Stela Maris de Mello Padoin, e representou uma estratégia de …

Produções acadêmicas:

Thamiza Laureany da Rosa dos Reis. Autonomia feminina no processo de parto e nascimento: um estudo fenomenológico na perspectiva dos profissionais. 2017. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Érika Eberlline Pacheco dos Santos. Significados e sentidos do ser-jovem-que-vivencia-a terapia-antiretrovial-para-o-HIV: contribuições da Enfermagem para o cuidado em Saúde. 2016. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin. Co-orientador: Aline Camaranno Ribeiro.

Tatiane Correa Trojahn. Cotidiano dos profissionais de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal na manutenção da lactação. 2014. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Laura Ferreira Cortes. Intencionalidade da ação da enfermeira ao cuidar de mulheres em situação de violência. 2014. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Keity Laís Siepmann Soccol. Motivos atribuídos por mulheres ao abuso de substâncias psicoativas. 2014. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Marlene Gomes Terra. Coorientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Tassiana Potrich. Cuidado à criança que tem HIV/aids em terapia antirretroviral: cotidiano do ser-familiar-cuidador. 2013. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Cristiane Cardoso de Paula. Co-orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Crhis Netto de Brum. Ser-adolescente-que-vivenciou-arevelação-do-diagnóstico-de-soropositividade-ao-HIV/aids: contribuições para o cuidado em enfermagem e saúde. 2013. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Cristiane Cardoso de Paula. Co-orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Tassiane Ferreira Langendorf. Profilaxia da transmissão vertical do HIV: compreensão do vivido do ser-casal e possibilidades de cuidado. 2012. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin. Co-orientador: Cristiane Cardoso de Paula.

Caroline Sissy Tronco. Ser-mãe de recém nascido de baixo peso: (im)possibilidade de amamentar na UTI neonatal. 2012. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Aline Cammarano Ribeiro. Ser-adolescente que tem HIV/aids em seu cotidiano terapêutico: perspectivas para o cuidado de enfermagem. 2011. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Letícia Vieira Becker. Perspectivas de mulheres que denunciam o vivido da violência: cuidado de enfermagem à luz de Schutz. 2011. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria.  Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Cintia Flôres Mutti. Ser-profissional-de-enfermagem-que-cuida da criança que tem doença oncológica avançada que não responde mais aos tratamentos curativos. 2011. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Dilce Rejane Peres do Carmo. O cotidiano do ser adolescente que cumpre medidas sócio-educativas: desvelando possibilidades assistenciais de enfermagem. 2010. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Enfermagem – Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Stela Maris de Mello Padoin.

Produções científicas: 

Alves VH, Padoin SMM. A tecnicização e a prática do cuidado ao parto: uma abordagem fenomenológica a partir de Husserl. Texto & Contexto Enfermagem 2016;25(3):e1750015.

Brum CN, Paula CC, Padoin SMM, Zuge SS. Vivência da revelação do diagnóstico para o adolescente que tem HIV. Texto & Contexto Enfermagem 2016;25(4):e17610015.

Potrich T, Paula CC, Padoin SMM, Gomes AMT. Cotidiano do familiar no cuidado à criança que tem HIV em tratamento antiretroviral. Revista Enfermagem UERJ 2016;24(4):e17446.

Langendorf TF, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO, Aldrighi JD. Profilaxia da transmissão vertical do HIV: cuidado e adesão desvelados por casais. Revista Brasileira de Enfermagem 2016;69(2):275-81.

Langendorf TF, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO, Terra MG, Silva CB. Cotidiano do ser-casal: significados da profilaxia da transmissão vertical do HIV e possibilidades assistenciais. Escola Anna Nery revista de enfermagem 2015;19(2):259-64.

Langendorf TF, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO, Bubadué RM. Desvelando a relação do casal diante da profilaxia da transmissão vertical do HIV. Investigacion y Educacion en Enfermeria 2015;33(3):539-46.

Langendorf TF, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO. Compreensão do vivido do ser-casal diante da profilaxia da transmissão vertical do HIV. Revista Gaúcha de Enfermagem 2015;36(esp):70-6.

Brum CN, Paula CC, Padoin SMM, Neves ET, Souza IEO, Zuge SS. Revelação do diagnóstico de HIV para o adolescente: modos de ser cotidiano. Escola Anna Nery revista de enfermagem 2015;19(4):679-84.

Tronco CS, Padoin SMM, Paula CC, Rodrigues AP, Terra MG, Aldrighi JD. Não esperava que nascesse antes: vivência materna diante da internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Cogitare Enfermagem 2015;20(1):53-9.

Tronco CS, Rodrigues AP, Padoin SMM, Paula CC, Neves ET, Weinmann AM. Manutenção da lactação de recém-nascido pré-termo: rotina assistencial, relação mãe-filho e apoio. Escola Anna Nery revista de enfermagem 2015;19(4):635-40.

Carmo DRP, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO. O adolescente que cumpre medida socioeducativa: ser-aí-com no cotidiano e possibilidades para a enfermagem. Revista Enfermagem UERJ 2014;22(3):396-401.

Paula CC, Padoin SMM, Terra MG, Souza IEO, Cabral IE. Modos de condução da entrevista em pesquisa fenomenológica: relato de experiência. Revista Brasileira de Enfermagem 2014;67(3):468-72.

Paula CC, Cabral IE, Souza IEO. Movimento existencial vivenciado por adolescentes com Síndrome da Imunodeficiencia Adquirida: estudo fenomenológico. Online Brazilian Journal of Nursing 2013;12(1):33-48.

Ribeiro AC, Padoin SMM, Paula CC, Terra MG. Cotidiano terapêutico do adolescente que tem HIV/AIDS: impessoalidade e disposição do temor. Texto & Contexto Enfermagem 2013;22(3):680-6.

Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC, Terra MG. Necessidades assistenciais de mulheres que denunciam o vivido da violência em uma delegacia de polícia. Aquichan (Bogotá) 2013;13(2):197-205.

Vieira LB, Schaurich D, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC, Crossetti MGO. Fenomenologia social: análise da produção acadêmica de Pós-Graduação em enfermagem, Brasil, 1979-2010. Revista de Pesquisa: Cuidado e Fundamental 2013;5(4):652-60.

Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC. Intencionalidades de mulheres que decidem denunciar situações de violência. Acta Paulista de Enfermagem 2012;25(3):423-9.

Mutti CF, Padoin SMM, Paula CC. Espacialidade do ser-profissional-de-enfermagem no mundo do cuidado à criança que tem câncer. Escola Anna Nery 2012;16(3):493-9.

Mutti CF, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO, Terra MG, Quintana AM. Cuidado de enfermagem à criança que tem doença oncológica avançada: ser-com no cotidiano assistencial. Ciência, Cuidado & Saúde 2012;11(1):113-20.

Paula CC; Cabral IE, Souza IEO, Padoin SMM. Movimento analítico hermenêutico heideggeriano: possibilidade metodológica para a pesquisa em enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem 2012;25(5):984-9.

Paula CC; Cabral IE, Souza IEO. O (não)dito da aids no cotidiano de transição da infância para adolescência. Revista Brasileira de Enfermagem 2011;64(4):658-64.

Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC. Perspectivas para o cuidado de enfermagem às mulheres que denunciam a violência vivida. Escola Anna Nery 2011;15(4):678-85.

Vieira LB, Padoin SMM, Paula CC, Souza IEO. Típico da ação das mulheres que denunciam o vivido da violência: contribuições para a enfermagem. Revista Enfermagem UERJ 2011;19(3):110-4.

Carmo DRP, Padoin SMM, Paula CC, Terra MG, Souza IEO. Adolescente que cumpre medida socioeducativa: modos de ser no cotidiano e possibilidades para enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem 2011;32(3):472-8.

Padoin SMM, Terra MG, Souza ÍEO. Mundo da vida da mulher que tem HIV/AIDS no cotidiano da (im)possibilidade de amamentar. Escola Anna Nery 2011;15(1):13-21.

Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC. Cotidianidade da mulher que tem HIV/AIDS: modo de ser diante da (im)possibilidade de amamentar. Revista Gaúcha de Enfermagem 2010;31(1):77-83.

Machado AG, Padoin SMM, Paula CC, Vieira LB, Carmo DRP. Análise compreensiva dos significados de estar gestante e ter HIV/AIDS. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste 2010;11(2):79-85.

Padoin SMM, Paula CC, Schaurich D. Pesquisa em enfermagem: possibilidades da filosofia de Buber. Revista Brasileira de Enfermagem 2009;62(6):912-5.

Paula CC; Cabral IE, Souza IEO. O cotidiano do ser-adolescendo com aids: movimento ou momento existencial?. Escola Anna Nery 2009;13(3):632-9.

Paula CC, Crossetti MGO. Existencialidade da criança com AIDS: perspectivas para o cuidado de enfermagem. Escola Anna Nery. Revista de Enfermagem 2008;12(1):30-8.

Paula CC, Cabral IE, Souza IEO. O cotidiano de crianças infectadas pelo HIV no adolescer: compromissos e possibilidades do cuidado de si. DST. Jornal Brasileiro de Doencas Sexualmente Transmissiveis 2008;20(3):174-9.

Schaurich D, Padoin SMM. Ser mulher cuidadora de criança com AIDS: compreensões existenciais à luz da filosofia de Buber. Texto & Contexto Enfermagem 2008;17(3):569-77.

Padoin SMM, Souza ÍEO. A compreensão do temor como modo de disposição da mulher com HIV/AIDS diante da (im)possibilidade de amamentar. Texto & Contexto Enfermagem 2008;17(3):510-8.

Padoin SMM, Souza ÍEO. A ocupação da mulher com HIV/aids: o cotidiano diante da (im)possibilidade de amamentar. DST. Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis 2006;18(4):241-6.

Schaurich D, Paula CC, Padoin SMM, Motta MGC. Utilização da Teoria Humanística de Paterson e Zderad como possibilidade de prática em Enfermagem pediátrica. Escola Anna Nery 2005;9(2):265-70.

Paula CC, Crossetti MGO. O acontecer do cuidado em Enfermagem ao ser-criança que convive com AIDS: ser, saber e fazer compartilhado. Revista Gaúcha de Enfermagem 2005;26(1):102-14.

Paula CC, Crossetti MGO. O modo de cuidar no encontro com o ser-criança que convive com aids: o experienciar da finitude e a ética. Texto & Contexto Enfermagem 2005;14(2):193-201.

Paula CC, Padoin SMM, Neves ET. O ser-criança no encontro de cuidado em Enfermagem. Enfermagem Atual 2004;4(23):23-8.

Paula CC, Schaurich D, Padoin SMM, Crossetti MGO. O cuidado como encontro vivido e dialogado na Teoria de Enfermagem Humanística de Paterson e Zderad. Acta Paulista de Enfermagem 2004;17(4):425-31.

Paula CC, Padoin SMM, Vernier ETN, Motta MGC. Reflexões acerca do ser-criança e do cuidado em enfermagem no contexto da AIDS. Rev Gaúcha Enferm, Porto Alegre (RS) 2003 ago;24(2):189-95.

Os projetos da linha de pesquisa “Vulnerabilidade e as demandas de cuidado de pessoas, famílias e sociedade no contexto da aids” estão organizados com estrutura matricial: