Ir para o conteúdo Observatório de Direitos Humanos Ir para o menu Observatório de Direitos Humanos Ir para a busca no site Observatório de Direitos Humanos Ir para o rodapé Observatório de Direitos Humanos
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

VI Encontro Regional de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio suscita debate sobre auto-lesão e suicídio



No dia 25 de setembro de 2019, última quarta feira, o Fórum Permanente de Saúde Mental da Região Central – RS e o Espaço Nise Silveira & AFAB promoveram o VI Encontro Regional de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, no Centro de Convenções da Universidade Federal de Santa Maria. O evento contou com a presença do Dr. Carlos Henrique de Aragão Neto, que é membro da International Association For Suicide Prevention (Iasp), representante da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio (Abeps) e da International Society For The Study Of Self-Injury (ISSS). Além disso, o convidado é também psicólogo clínico com formação e especialização em tanatologia e estudo do luto, tem capacitação em psiconcologia e abordagem humanista, é mestre em Antropologia, com dissertação denominada “Os aspectos socioantropológicos que contribuem para a tentativa de suicídio em Teresina (PI)”, e doutor em Psicologia Clínica e Cultura, pela Universidade de Brasília (UnB).

            Para Marta Noal, psiquiatra que atua na UFSM e uma das organizadoras do evento, o objetivo principal do encontro é dar visibilidade para questões de valorização da vida e de prevenção de suicídio. Mais especificamente, também começar a aprofundar o debate referente as questões de automutilação e autolesões sem intenção suicida, fenômenos que, segunda ela, ainda são pouco estudados. Carlos, que trabalhou com esse assunto em seu doutorado, concorda e relata “os estudos sobre autolesão são muito recentes, no mundo todo, eles têm 20 ou 30 anos, e aqui no Brasil tem no máximo 5 anos que estudiosos estão interessados nesse tema em nível científico”.

            Aproximadamente 1300 pessoas se inscreveram para o curso, sendo que 500 vagas foram reservadas para professores da rede municipal e 200 para docentes da rede estadual. O restante das inscrições é resultado da divulgação feita para pessoas de todas as áreas da saúde, especialmente da psicologia, e entre a comunidade acadêmica em geral, tanto discentes quanto familiares dos mesmos.

            O curso “Auto-lesão sem intenção suicida” teve carga horária de 8 horas e, segundo Carlos, quem ministrou o exercício, uma das primeiras coisas que precisa ser explicada é a diferença conceitual entre a auto-mutilação e o fenômeno que ele chama de Auto-lesão Sem Intenção Suicida (ASIS). O psicólogo afirma quando falamos auto-mutilação esse conceito é mais amplo, podendo ser incluído até uma tentativa de suicídio ou atos com intenção de morte, mas seu objeto de fala, percebido principalmente da pré-adolescência até o adulto jovem, é referente a casos de cortes no corpo, que tem aumentado bastante no Brasil inteiro. “Se a pessoa recorre a esse comportamento, seu objetivo não é tirar a própria vida, são outros”, diz ele. A principal motivação é o alívio de uma angústia que não consegue aguentar, que a faz preferir causar dor física para poder aliviar a dor emocional, algo complexo de entendimento que está no discurso que eles alegam.

Confira fotos do evento:

Em 26 de setembro, quinta feira, acontecerá o CineMental, às 14h30 no auditório da Antiga Reitoria. No evento, será exibido o filme “Yoñlu”, um drama nacional dirigido por Hique Montanari, com duração de 90 minutos, lançado no ano de 2018. Leia a sinopse:

Vinícius, de nome artístico Yoñlu, é dono de grande talento como poeta, músico e desenhista. O rapaz, um gênio que domina quatro idiomas, que escreve seus poemas em inglês e faz sucesso na internet tocando suas músicas, sente-se deslocado socialmente e melancólico diante da vida. Para tentar superar essas dificuldades, começa a fazer análise aos oito anos. Aos 16, num momento de maior fragilidade, procura um fim apoiado por um grupo de internautas em um site no qual são expostos métodos de suicídio.

Setembro Amarelo

Em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, marcado no dia 10 de setembro. A partir disso, em 2015, o Brasil têm organizado o Setembro Amarelo, em alusão a data, mês de campanha e mobilização para a prevenção do suicídio. Essa mobilização se divide com dois objetivos: Divulgar que o suicídio é um fenômeno evitável e previsível e lutar contra o estigma que dos transtornos mentais, fomentando a busca de auxílio em situações de sofrimento psíquico.

Em caso de necessidades de atendimento psicológico urgente, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo número 188.


Publicações Recentes